Iberdrola conclui processo de licenciamento para central de ciclo combinado


 

Lusa / AO online   Economia   21 de Set de 2007, 12:34

A Iberdrola concluiu o processo de licenciamento industrial para a central de ciclo combinado da Figueira da Foz, tendo obtido na semana passada a licença de produção da Direcção Geral de Energia e Geologia (DGEG), anunciou hoje a empresa.
A Iberdrola já tinha obtido a 12 de Junho deste ano a Licença Ambiental para a construção da central, concluindo desse modo todo o procedimento de licenciamento ambiental, incluindo a obtenção de uma declaração de impacte ambiental (DIA) favorável, da licença ambiental e do título de emissão de gases com efeito estufa (TEGEE).

A eléctrica espanhola já tinha também, em Novembro do ano passado, obtido da DGEG resposta favorável ao pedido de atribuição do ponto de interligação à rede.

A central de ciclo combinado da Iberdrola, com uma potência instalada de 850 megawatts (MW), vai implicar um investimento de 450 milhões de euros e deverá entrar em funcionamento até finais de 2009.

A central vai situar-se em Lavos, abrangendo uma área de 208 mil metros quadrados, e vai criar 800 empregos durante a fase de construção e mais 100, entre directos e indirectos, quando estiver operacional.

Com este projecto, que fornecerá electricidade equivalente ao consumo de cerca de 1 milhão de habitantes, a Iberdrola conta já com uma potência instalada em Portugal de mais de 1.000 megawatts (MW), contabilizando projectos licenciados, projectos em construção e instalações em operação.

Aos 850 MW da central, somam-se os 50 MW já operativos dos parques eólicos de Catefica e de Alto Monção, e os 122 MW de três outros parques ainda em fase de construção e que deverão ficar operativos até ao final de 2009.

O novo projecto da Iberdrola em Portugal enquadra-se na aposta defendida pelo Plano Estratégico do grupo de promoção das tecnologias de produção mais limpas, nomeadamente, ciclos combinados e energias renováveis, sobretudo eólica, imprescindíveis para cumprir os objectivos do Protocolo de Quioto.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.