Hamas admite renunciar a controlo da Faixa de Gaza


 

Lusa / AO online   Internacional   11 de Out de 2007, 15:43

O primeiro-ministro palestiniano demitido Ismail Haniyeh, do Hamas, admitiu que o movimento radical pode renunciar ao controlo da Faixa de Gaza, assegurando que a administração do seu movimento naquele território é temporária.
    "A nossa administração em Gaza é temporária", declarou Haniyeh, quarta-feira à noite numa mesquita em Gaza.

    Haniyeh anunciou, a propósito, que o diálogo com o movimento Fatah do presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmud Abbas, "vai ser retomado após o Eid al-Fitr", a festa que encerra o mês de jejum do Ramadão e que se realiza sexta-feira ou sábado conforme os países.

    "Estão a ser feitos esforços sérios para relançar este diálogo", adiantou, indicando que o mesmo se desenvolverá num Estado árabe, sem precisar qual.

    Segundo a BBC News, num comunicado divulgado no "site" do movimento islamita, Haniyeh reafirma que o Hamas pode renunciar ao controlo da Faixa de Gaza, conquistado em meados de Junho.

    Abbas tem afastado a possibilidade de reconciliação com o Hamas enquanto o movimento radical não renunciar ao controlo da Faixa de Gaza e se submeter à sua autoridade.

    Após as declarações de Haniyeh, um responsável da Fatah, Ahmed Abdul Rahman, negou estarem planeadas negociações e acusou o Hamas de estar a induzir o público em erro.

    "Não ouvimos nada de tal diálogo", disse à agência noticiosa britânica Reuters.

    Já em Setembto, Haniyeh declarou-se pronto a encontrar-se com o presidente da Autoridade Palestiniana e líder da Fatah na Arábia Saudita, "para tentar resolver um diferendo entre irmãos muçulmanos na base do acordo de Meca".

    Concluído a 08 de Fevereiro, o acordo de Meca permitiu a criação de um governo de união nacional e a reconciliação entre o Hamas e a Fatah depois de meses de confrontos sangrentos entre os partidários dos dois movimentos.

    Mas o governo, dirigido por Haniyeh, não durou muito tempo, tendo sido demitido por Abbas após o golpe do Hamas na Faixa de Gaza.

    O movimento islamita obteve o controlo do território a 15 de Junho, depois de combates que causaram mais de 110 mortos numa semana.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.