Taça UEFA

Guimarães perde por 2-0 em Portsmouth

Guimarães perde por 2-0 em Portsmouth

 

Lusa/AO online   Futebol   18 de Set de 2008, 19:46

O Vitória de Guimarães perdeu hoje por 2-0 no estádio dos ingleses do Portsmouth, em jogo da primeira mão da primeira eliminatória da Taça UEFA em futebol
O Vitória de Guimarães ficou hoje com a qualificação para a fase de grupos da Taça UEFA em futebol um pouco mais comprometida, ao perder por 2-0 no estádio dos ingleses do Portsmouth, em jogo da primeira mão da eliminatória inaugural.
O Portsmouth, detentor da Taça de Inglaterra, estreou-se da melhor forma nas provas europeias graças aos golos do médio francês Lassana Diarra, aos 39 minutos, e do avançado inglês Jermain Defoe, aos 60.
Defoe dividiu o protagonismo com o guarda-redes Nilson, que evitou que o Guimarães ficasse praticamente afastado da fase de grupos, terminando prematuramente a campanha europeia, que começou na pré-eliminatória da Liga dos Campeões, perdida para os suíços do Basileia.
Num jogo em que foram desperdiçadas duas grandes penalidades - Fajardo, aos 42 minutos, para os portugueses, e Defoe, aos 49, para os britânicos -, o Guimarães saiu derrotado por números pouco expressivos, mas que permitem antever muitas dificuldades na luta pelo apuramento.
Mesmo privada de cinco jogadores influentes, casos de Nuno Assis, Luís Filipe, Marquinho (lesionados), Flávio Meireles e Douglas (suspensos), a equipa minhota susteve o ímpeto inicial dos britânicos.
O primeiro sinal de perigo, aos 19 minutos, coincidiu com uma grande defesa de Nilson a remate de Defoe, após assistência de Crouch, mas o guarda-redes pouco poderia ter feito aos 20, quando o remate de longe de Utaka foi detido pelo poste esquerdo da baliza vimaranense.
Defoe ameaçou de novo aos 32 minutos, com um remate sobre a barra, e, aos 37, o avançado inglês voltou a encontrar em Nilson um obstáculo intransponível, depois de se libertar da marcação em plena área portuguesa.
O golo do Portsmouth parecia cada vez mais uma inevitabilidade, que se concretizou aos 39 minutos, por intermédio de Diarra, que se internou na área visitante graças a uma boa combinação com Defoe.
O Guimarães esteve prestes a restabelecer o empate que não merecia ao intervalo, quando Sol Campbell agarrou infantilmente Roberto na área aos 42 minutos, mas Fajardo atirou sobre a barra na marcação da respectiva grande penalidade.
A segunda parte começou com Defoe a retribuir a "amabilidade" de Fajardo, ao permitir que Nilson defendesse aos 49 minutos uma grande penalidade que o próprio avançado tinha conquistado, ao ser derrubado na área por Moreno.
O Guimarães pareceu ganhar ânimo e Roberto provocou calafrios com um perigoso remate rasteiro, mas Defoe não foi tão perdulário aos 60 minutos, aumentando para 2-0 com um desvio certeiro que premiou o bom cruzamento de Traoré e a passividade da defesa minhota.
O treinador Manuel Cajuda mexeu na equipa, tocando Momha e Fajardo por Luciano Amaral e Jean Coral, mas o Guimarães "cresceu" acima de tudo pela iniciativa de João Alves, que viu uma defesa involuntária do guarda-redes James evitar o 2-1.
Apesar de ter reequilibrado o jogo, o Vitória de Guimarães deve agradecer a Nilson a continuidade na corrida pela qualificação, em especial depois da notável defesa do guardião, aos 78 minutos, a remate do isolado Traoré.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.