Saúde

Grávidas, idosos ou doentes oncológicos são grupos de risco face à bactéria listeriose


 

Lusa/AO online   Nacional   29 de Set de 2011, 17:59

As grávidas, idosos ou doentes oncológicos são os grupos da população mais vulneráveis à listeriose, infecção com taxa de mortalidade entre 30 a 40 por cento, que já matou pelo menos 13 pessoas nos EUA, alertou hoje uma especialista.
“A maior parte da população saudável, normalmente, não é afectada pela forma mais severa de listeriose, mas as grávidas, os idosos e as pessoas com qualquer comprometimento no sistema imunitário, designadamente doentes oncológicos, são mais susceptíveis e daí esta taxa de mortalidade elevada”, disse à agência Lusa Paula Teixeira, investigadora da Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica do Porto e especialista em listeriose.

A listeriose é uma bactéria que normalmente se manifesta como uma infecção no sistema nervoso central, normalmente uma meningite, ou então como uma infecção generalizada (septicemia) e é uma infecção rara, mas muito grave, ou seja, tem uma “taxa de mortalidade na ordem dos 30 a 40 por cento”, explicou a especialista.

A maior parte dos casos de listeriose ocorrem por ingestão de alimentos contaminados, alertou Paula Teixeira, acrescentando, todavia, que a bactéria, que se encontra no solo e nas águas, também pode ser encontrada em vários alimentos que não estão estragadas ou com mau aspecto

Há alguns alimentos que apresentam mais riscos que outros, designadamente peixes fumados, como o salmão, leite e queijos não pasteurizados, patês embalados, salsichas frescas ou enchidos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.