Governo quer assinar ainda este ano protocolo para apoiar universidade

Governo quer assinar ainda este ano protocolo para apoiar universidade

 

Lusa/AO online   Regional   15 de Nov de 2012, 16:30

O secretário regional da Educação, Ciência e Cultura dos Açores admitiu esta quinta-feira que se assine ainda este ano o protocolo base para apoiar a universidade através de um contrato para a criação de emprego e crescimento económico.

“Estivemos a pôr de pé a estratégia geral para esta colaboração e agora as equipas técnicas vão entrar em funcionamento para o mais rapidamente possível assinar este protocolo”, afirmou Luiz Fagundes Duarte, após uma reunião com o reitor da Universidade dos Açores (UAç).

O contrato entre a região e a UAç, que o presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, já havia anunciado na terça-feira após uma audiência com o reitor da academia açoriana, vai envolver três áreas fundamentais.

Além da melhoria da articulação entre o executivo e a UAç e da transferência dos resultados da investigação realizada para benefício das empresas açorianas, o contrato prevê que “por cada euro que a universidade obtenha como receita da investigação o Governo igualará esse euro até um montante de seis milhões de euros anuais”.

O secretário regional da Educação explicou que será "um protocolo sem limite de duração", lembrando que o contrato "está previsto no programa de Governo que vai estar em discussão na próxima semana".

Luíz Fagundes Duarte sublinhou que o acordo permitirá à Universidade obter verbas próprias em áreas de investigação e de produção de conhecimento, frisando ainda que a academia açoriana tem "competência instalada para dar à região quadros altamente qualificados em diversas áreas e tem também meios que podem ser rentabilizados a favor da região".

"A universidade dos Açores pode estabelecer convénios com outras congéneres estrangeiras, integrar-se em programas operacionais de investigação com grandes universidades internacionais e isto poderá viabilizar a entrada de receitas próprias para a academia", acrescentou.

Além deste acordo para que a universidade produza verbas próprias, o secretário regional disse que existem áreas em que é possível "no imediato" uma colaboração direta, referindo-se à formação de professores do pré-escolar e primeiro ciclo do ensino básico.

O reitor da Universidade dos Açores, Jorge Medeiros, sublinhou a "abrangência" do protocolo, que terá em conta "várias áreas de articulação possíveis" entre o Governo Regional e a academia açoriana.

Jorge Medeiros referiu ainda que o facto de o contrato prever que o executivo atribua verbas em função das receitas da investigação representa "uma boa ajuda", mas frisou que existirão "despesas acrescidas" que a academia terá que suportar.

O reitor voltou a frisar que "ao longo dos anos a Universidade dos Açores tem tido um orçamento cada vez mais pequeno", pelo que "tem enfrentado cada vez mais dificuldades".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.