Privatizações

Governo quer arrecadar 7 mil ME até final de 2012


 

Lusa/AO Online   Economia   19 de Set de 2011, 07:51

As privatizações de empresas públicas devem render pelo menos 7 mil milhões de euros até ao final de 2012, anunciou hoje o primeiro-ministro Pedro Passos Coelho em entrevista publicada no jornal francês Figaro.

"Estamos a suprimir as 'golden share' [ações que dão direito de veto] que o Estado detém em empresas públicas e depois vamos começar o processo de privatização nos sectores da energia até meio de novembro", afirmou Pedro Passos Coelho na entrevista ao diário francês.

O programa de privatizações faz parte do acordo assinado em maio com a 'troika' em troca do empréstimo de 78 mil milhões de euros.

Passos Coelho adiantou que o programa de privatizações abrange empresas públicas de eletricidade, gás e petróleo como a Galp, a companhia aérea TAP, o gestor do aeroporto Ana, a empresa ferroviária Refer e o primeiro canal da televisão pública RTP.

"Todo o processo deve estará finalizado no final de 2012 e o objetivo é arrecadar pelo menos sete mil milhões de euros", disse o primeiro-ministro, adiantando ter recebido manifestações de interesse de investidores europeus, mas também do Brasil, China e de vários países árabes.

"O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Económico no Brasil, a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, e o seu antecessor, Lula da Silva, já nos fizeram saber do interesse de investidores brasileiros", referiu.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.