Governo dos Açores repudia suspeitas do PSD sobre apoios a painéis solares em edifícios públicos

Governo dos Açores repudia suspeitas do PSD sobre apoios a painéis solares em edifícios públicos

 

Lusa/AO Online   Regional   31 de Out de 2013, 18:10

O vice-presidente do Governo dos Açores, Sérgio Ávila, considerou hoje "lamentáveis" as suspeições levantadas pelo PSD sobre os apoios atribuídos a uma empresa no âmbito de um projeto de instalação de painéis solares em edifícios públicos.

“Lamentavelmente, o deputado Duarte Freitas, já não é a primeira vez, tenta deturpar a verdade e gerar confusão”, criticou o governante, assegurando que os incentivos financeiros atribuídos a essa empresa são legais.

Segundo explicou Sérgio Ávila, em declarações aos jornalistas, a empresa em causa candidatou-se ao sistema de incentivos da região, recordando que as regras em vigor “foram aprovadas pela generalidade dos partidos na Assembleia Regional”.

“O apoio ao investimento que tem é o apoio ao investimento que todas as empresas têm. Mais de 850 empresas já tiveram apoios ao investimento nos exatos termos do diploma que foi aprovado na Assembleia”, adiantou Sérgio Ávila.

O líder do PSD/Açores, Duarte Freitas, anunciou na quarta-feira que vai pedir a audição no Parlamento do vice-presidente do Governo para clarificar a alegada “falta de transparência” do protocolo de concessão a privados da utilização de edifícios públicos para a instalação de painéis solares.

Em causa está o projeto de produção fotovoltaica de energia elétrica a concretizar pela empresa Strongsurvival.

O Governo Regional dos Açores já apresentou uma lista de 54 edifícios públicos, entre escolas, hospitais e outros, onde podem ser instalados painéis solares para produção de energia.

Em maio de 2013, o Conselho de Governo decidiu classificar o projeto de produção de eletricidade, através da energia solar, como Projeto de Interesse Regional (PIR).

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.