Governo dos Açores reforça campanha de apelo à vacinação contra a gripe

Governo dos Açores reforça campanha de apelo à vacinação contra a gripe

 

Lusa/AO Online   Regional   3 de Dez de 2018, 14:14

O Governo Regional dos Açores vai reforçar, este mês, a campanha de apelo à vacinação contra a gripe, esperando atingir uma taxa de adesão de 60% entre a população com mais de 65 anos.

“Temos vindo a aumentar em cada uma das campanhas que fazemos ao longo dos últimos anos. Este ano pensamos que vamos chegar aos 60%”, adiantou o secretário regional da Saúde, Rui Luís, em declarações aos jornalistas, em Angra do Heroísmo, à margem do relançamento da campanha.

“Gripe? Não corra para as urgências” e “Não se deixe apanhar pela gripe. Vacine-se” são as frases dos cartazes que serão distribuídos, este mês, por todas as unidades de saúde da região e pelas casas do povo e juntas de freguesia.

Segundo Rui Luís, o objetivo da campanha é sensibilizar a população para a importância da vacinação e evitar uma maior afluência às urgências.

“A grande mensagem para a época da gripe 2018/2019 é esta: não se dirija às urgências. Por um lado, vacine-se e, por outro, sempre que tiver algum problema, utilize a Linha de Saúde Açores, porque efetivamente a gripe trata-se em casa”, frisou.

O governante salientou que a Linha de Saúde Açores (808 24 60 24) registou um aumento de chamadas de 110%, entre 2017 e 2018, acrescentando que este ano foi iniciado um serviço de aconselhamento, após a primeira chamada, com a contratação de mais quatro enfermeiros.

“Numa fase posterior, se for necessário, iremos tomar outras medidas, como fizemos no ano passado, nomeadamente abrir mais consultas nos centros de saúde, mas isso vamos deixar mais para a frente. Se a campanha tiver sucesso não será necessário fazer esse reforço de consultas abertas nos centros de saúde”, adiantou Rui Luís, referindo-se às consultas destinadas aos utentes sem médico de família.

Nos últimos dois anos, a adesão à vacina contra a gripe entre a população com mais de 65 anos, que representa o “grupo mais vulnerável”, segundo o diretor regional da Saúde, Tiago Lopes, ficou abaixo da meta: 47%, em 2016/2017, e 51,9%, no ano passado.

Nas ilhas de São Miguel, Graciosa, São Jorge e Flores a taxa de cobertura vacinal ficou mesmo abaixo dos 50%, mas o executivo açoriano conta com uma evolução positiva na época 2018/2019.

“A verdade é que até sexta-feira passada, 30 de novembro, temos uma taxa de cobertura vacinal muito satisfatória - 43,8% é bastante satisfatório neste momento para a região”, afirmou Tiago Lopes.

O diretor regional da Saúde sublinhou que “em determinados contextos” ainda não existe uma “real perceção” do risco da gripe, por isso realçou a importância da sensibilização.

“A evidência científica é que neste momento é a medida de saúde mais eficaz em termos de prevenção da doença e promoção da saúde”, apontou.

A vacinação contra a gripe nos Açores iniciou-se em 15 de outubro e idealmente deve ser feita até dezembro.

O executivo açoriano disponibiliza 25.500 vacinas para administração gratuita a grupos de risco, como pessoas com mais de 65 anos, com doenças crónicas, institucionalizadas ou com apoio domiciliário, pessoas em estabelecimentos prisionais e profissionais de saúde.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.