Açoriano Oriental
Governo dos Açores estima conclusão de estudo sobre o leite dentro de um ano

O presidente do Governo dos Açores estimou para, no máximo, dentro de um ano a concretização de um estudo sobre a fileira do leite, a desenvolver pela Secretaria Regional da Agricultura.

Governo dos Açores estima conclusão de estudo sobre o leite dentro de um ano

Autor: Lusa/AO Online

“Os mandatos governativos são de quatro anos e obviamente não podemos passar um mandato a fazer um estudo. Temos que perspetivar na repartição do calendário do mandato um tempo apropriado para o estudo, outro para a sua aplicação e depois a avaliação de resultados. Penso que todos devemos fazer um esforço para, no espaço de um ano, termos o estudo feito e iniciar a sua concretização, mas quanto mais depressa melhor”, declarou José Manuel Bolieiro.

O líder do governo de coligação PSD/CDS-PP/PPM, que recebeu, no Palácio de Sant’Ana, em Ponta Delgada, o presidente da Lactogal e seus parceiros comerciais nos Açores, referiu que o seu executivo vai iniciar um processo de recolha de contributos juntos dos parceiros do setor ligados à produção, indústria e comercialização e deixou claro que não fará, "por causa da pressa, um estudo enganador”.

A produção nos Açores tem vindo a queixar-se de sucessivas quebras no pagamento do leite à produção - já em anos anteriores à pandemia da covid-19 - pago pela indústria, que também se queixa de dificuldades no escoamento dos produtos, a par da comercialização.

O presidente do Governo dos Açores já reiterou a necessidade de um “equilíbrio” na fileira do leite, reconhecendo que o aumento do rendimento dos produtores pode resultar “do preço” ou “dos auxílios de subvenção pública e comunitária”.

José Manuel Bolieiro frisou a importância da “concertação” entre “todos os elementos desta cadeia de negócio”, na fileira do leite.

É preciso encontrar “equilíbrio, visto que é fundamental ter uma boa relação, com equidade, justiça e solidariedade, entre produção, transformação e comercialização e o Governo está disponível, obviamente, para ser um parceiro auxiliar destes entendimentos e dessa melhoria de entendimento e de rendimentos para todos”, afirmou o líder do executivo açoriano.

À saída da audiência com o chefe do executivo açoriano, o presidente da Lactogal, Casimiro de Almeida, declarou aos jornalistas que vê o futuro do setor do leite “com muitas apreensões, fundamentalmente pelo excedente da matéria-prima, pela decadência dos preços do produto transformado e pela sempre exigência dos produtores".

O gestor explicou que os lavradores "querem mais preço, ficando a indústria um bocado emparedada entre quem compra, que quer comprar mais barato, e quem vende, que arranja sempre alternativas para reivindicar, com razão ou sem razão”.

A Lactogalp detém 51% do capital da Pronicol - Produtos Lácteos, S.A, sendo os restantes 49% assegurados pela Unicol, União das Cooperativas de Lacticínios Terceirense, fundada em 1946, com cerca de 900 associados e é, atualmente, o maior grupo económico da ilha Terceira.


PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.