Governo é "cúmplice" na destruição da economia e direitos laborais, afirma Aníbal Pires

Governo é "cúmplice" na destruição da economia e direitos laborais, afirma Aníbal Pires

 

Lusa/AO online   Regional   9 de Out de 2013, 17:01

O coordenador do PCP nos Açores, Aníbal Pires, considerou que a realidade contraria o discurso do executivo açoriano, a quem acusa de ser "cúmplice ativo" da "destruição" da economia e dos direitos laborais.

 

"Nos Açores, a realidade vivenciada pelos trabalhadores, pelas famílias e pelos micro, pequenos e médios empresários contraria a propaganda oficial do Governo Regional. A situação social e económica na Região continua a agravar-se, apesar dos paliativos traduzidos num crescente apoio às empresas e na diversidade de programas e apoios sociais", frisou.

Aníbal Pires falava numa conferência de imprensa em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, em que apresentou as conclusões da reunião do Secretariado da direção regional do PCP.

Segundo o dirigente comunista, é "essencial" para a revitalização da economia regional aumentar o poder de compra dos trabalhadores açorianos, em vez de lhes aumentar horários e dias de trabalho, "sob pena das empresas regionais produzirem para não venderem".

Nesse sentido, anunciou que o PCP vai retomar propostas que visam "repor a justiça salarial" na discussão do Plano e Orçamento dos Açores para 2014, na Assembleia Legislativa Regional, como o acréscimo ao salário mínimo nacional.

O partido vai ainda apresentar propostas que visem a dinamização do comércio interno e a coesão social, económica e territorial, acrescentou.

Aníbal Pires apelou, por outro lado, aos trabalhadores para que demonstrem o seu descontentamento com as políticas dos governos nacional e regional na jornada de luta convocada pela CGTP para o dia 19 de outubro.

Num balanço das eleições autárquicas de 29 de setembro, o Secretariado da direção regional do PCP concluiu que a CDU se "consolidou" como "força política de dimensão regional", salientando que "não concentrou esforços apenas nas ilhas de maior dimensão, nem se refugiu em coligações de circunstância para disfarçar a falta de capacidade de implantação".

"A CDU, no contexto da região, manteve a sua presença e conseguiu conquistar novas posições em Santa Cruz das Flores e Vila do Porto [ilha de Santa Maria], obteve resultados muito positivos na generalidade dos concelhos a que se candidatou", frisou Aníbal Pires, realçando o crescimento em todos os concelhos de S. Miguel, bem como em Angra do Heroísmo, Velas (S. Jorge) e Lajes do Pico.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.