Açoriano Oriental
Golo de Cervi dá triunfo a um Benfica ‘cauteloso’ em Guimarães

Um golo de Cervi, aos 23 minutos, permitiu este sábado ao Benfica derrotar o Vitória de Guimarães, por 1-0, num jogo da 15.ª jornada da I Liga de futebol, em que o adversário teve mais tempo a iniciativa ofensiva.


Foto: Pedro Trindade/LUSA
Autor: AO Online/ Lusa

O extremo argentino marcou, aliás, no único remate ‘encarnado’ durante a primeira parte, após combinação entre Chiquinho e Pizzi, e assegurou um resultado que premiou o rigor defensivo dos comandados de Bruno Lage, sempre organizados a bloquear os ataques vimaranenses e também preparados para se lançarem rapidamente para o ataque.

Com o 12.º triunfo consecutivo na prova, as ‘águias’ cimentaram provisoriamente a liderança, com 42 pontos, mais sete do que o segundo classificado, FC Porto, que joga, no domingo, com o terceiro, Sporting, enquanto os vitorianos, muito ofensivos, mas quase sempre inconsequentes, continuam, para já, no quinto lugar, com 21.

Perante um Benfica que apareceu em campo com o mesmo ‘onze' da jornada 14, que goleou o Famalicão por 4-0, os vimaranenses apresentaram cinco novidades face ao empate da ronda anterior, com o Gil Vicente (2-2) - Victor Garcia, Florent, Pepê, Lucas Evangelista e Davidson -, e tiveram mais bola durante os primeiros 20 minutos, embora de forma inconsequente.

Apesar do ritmo elevado, o primeiro lance de perigo surgiu apenas aos 23 minutos, e deu golo para as ‘águias’: Chiquinho ganhou espaço no corredor central e entregou a bola na direita, a Pizzi, que atrasou a bola para o remate de primeira, cruzado, de Cervi, a bater Douglas.

O jogo esteve interrompido pouco depois, face ao arremesso de tochas entre alguns adeptos benfiquistas, na bancada Norte do Estádio D. Afonso Henriques, e alguns vitorianos, na bancada Nascente, mas, após o reatamento, a turma de Bruno Lage continuou resguardada e compacta, perante um adversário que ganhou objetividade no ataque.

Os minhotos aceleraram o jogo ofensivo e conseguiram penetrar na área ‘encarnada’, tendo criado duas situações para empatar até ao intervalo: numa, aos 31 minutos, Lucas Evangelista rematou colocado, mas Vlachodimos esticou-se para impedir o golo, e, na outra, João Carlos Teixeira atirou por cima, na recarga a um remate de Marcus Edwards travado pelo guardião grego.

A toada da primeira parte manteve-se na segunda, mas com um Vitória mais trapalhão na construção ofensiva, que favoreceu ainda mais a postura expectante da turma ‘encarnada', quase sempre confortável a defender o resultado.

A equipa treinada por Ivo Vieira só esteve perto do golo por duas vezes - um remate de Lucas Evangelista travado por Vlachodimos, aos 68 minutos, e de Davidson ao lado, aos 79 -, tantas quantas o Benfica, com Carlos Vinicius (58) e Pizzi (86) a testarem a atenção de Douglas.

Com o avançar do cronómetro, os ‘encarnados' libertaram-se cada vez mais da pressão vitoriana, controlando a vantagem em zonas mais adiantadas do terreno a partir dos 80 minutos.

O encontro ficou ainda marcado por algumas interrupções, provocadas pelo arremesso de objetos da bancada: aos 45, algumas cadeiras foram atiradas de um setor vitoriano. Já nos intervalos entre os minutos 61 e 63 e também 81 e 83, as paragens deveram-se ao arremesso de tochas do setor ‘encarnado'.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.