GNR deteve homem em Barcelos com arma proibida suspeito de violência doméstica


 

AO Online/ Lusa   Nacional   10 de Nov de 2019, 19:38

O comando territorial de Braga da GNR deteve um homem em Barcelos, por posse de arma proibida, em contexto de violência doméstica, e identificou outro em Póvoa de Lanhoso por tráfico de estupefacientes, foi divulgado este domingo.

Segundo a Guarda Nacional Republicana (GNR), em comunicado enviado à agência Lusa, foi detido, na sexta-feira, um homem de 81 anos na localidade de Abade de Neiva, concelho de Barcelos, distrito de Braga.

O suspeito foi detido através do Núcleo de Investigação a Vítimas Específicas, "no âmbito de um processo de violência doméstica, em que foi possível apurar que o suspeito exercia violência física e psicológica sobre a companheira de 74 anos", informou a GNR.

"Os militares deram cumprimento a um mandado de detenção e de uma busca domiciliária, que culminou na detenção do suspeito e na apreensão de uma caçadeira de calibre 12, duas espingardas de pressão de ar e uma pistola de alarme", acrescentou a mesma fonte.

O suspeito foi presente ao Tribunal Judicial de Amares, distrito de Braga, no sábado, para aplicação de medidas de coação.

Já na localidade de Rendufinho, concelho de Póvoa de Lanhoso, também no distrito de Braga, a GNR identificou um homem de 62 anos "por ser suspeito do crime de tráfico de estupefacientes".

Na sequência de uma investigação com cerca de um mês, a GNR realizou uma busca domiciliária e outra a um veículo, tendo apreendido 35 doses de canábis, quatro de haxixe, 300 sementes de cânhamo e um extrator de resina de canábis.

A GNR apreendeu ainda 35 cartuchos de calibre 12, três munições de 6,35 milímetros e duas munições .22.

"O suspeito foi constituído arguido e os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Famalicão", referiu a nota da força policial.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.