Forte queda da banca penaliza PSI 20


 

Lusa / AO Online   Economia   13 de Dez de 2007, 16:01

A Euronext Lisboa fechou hoje em queda, em sintonia com as congéneres europeias, com o PSI 20 a descer 1,73 por cento, para 12.835,5 pontos, penalizado pelo forte recuo da banca.
    Dos 20 títulos que integram o principal índice da bolsa portuguesa, 16 caíram, três subiram e um ficou inalterado, numa sessão de elevada liquidez.

    Pela positiva destaque para Impresa, Galp e PT Multimédia, únicos títulos que fecharam positivos.

    Do lado negativo referência para BCP, Portucel e BPI.

    A Europa terminou o dia com fortes quedas, com os investidores a continuarem preocupados com os problemas de liquidez nos mercados, mesmo depois de bancos centrais, incluindo a Reserva federal norte-americana (Fed) e o Banco Central Europeu (BCE), terem anunciado medidas para fazer face a esses problemas.

    Entre as quedas mais acentuadas, com perdas entre 3 e mais de 8 por cento, ficaram os bancos HBOS, Royal Bank of Scotland, Barclays, Lloyds, BNP Paribas, Société Générale e UBS.

    Os produtores de matérias-primas como ArcelorMittal, Anglo American, Rio Tinto e BHP Billiton também terminaram o dia entre as maiores descidas, assim como os construtores automóveis Daimler, Renault, BMW e Volkswagen.

    O índice de referência DJ Stoxx 50 fechou a cair 2,53 por cento, para 3.704,74 euros, e o Euronext 100 encerrou a perder 2,16 por cento para 989,2 pontos.

    As desvalorizações nas congéneres da bola poruguesa oscilaram entre os 1,58 por cento de Milão e os 2,98 por cento de Londres.

    A Euronext Lisboa acompanhou a tendência negativa do exterior, terminando com a maioria dos títulos negativos e penalizada sobretudo pelo sector da banca.

    O BCP liderou as desvalorizações no PSI 20 ao perder 4,86 por cento para 2,74 euros, com 25,2 milhões de acções trocadas, evoluindo em sintonia com os congéneres europeus.

    O BPI deslizou 3,49 por cento para 5,25 euros e o BES perdeu 1,9 por cento para 15,5 euros.

    A Brisa encerrou negativa, a deslizar 0,5 por cento para 9,99 euros.

    A EDP caiu 1,74 por cento para 4,52 euros e foi o título mais negociado da sessão com 32,4 milhões de acções negociadas.

    A REN perdeu 0,27 por cento para 3,7 euros, enquanto a Galp Energia somou 0,46 por cento para 15,43 euros após ter feito novo máximo histórico nos 15,75 euros.

    A maior valorização do dia foi protagonizada pela Impresa, com uma subida de 2,75 por cento para 2,24 euros, um dia depois de ser conhecido que Nuno Santos vai ser o novo director de Programas da SIC e que António José Teixeira será o novo director da SIC Notícias.

    A PT Multimédia avançou 0,11 por cento para 9,52 euros, enquanto a Portugal Telecom desceu 0,43 por cento para 9,16 euros.

    Os títulos do universo Sonae encerraram no 'vermelho', com Sonaecom a recuar 1,58 por cento para 3,74 euros, a Sonae Indústria desceu 3,48 por cento para 7,22 euros e a casa-mãe deslizou 1,96 por cento para 2 euros.

    Durante a sessão de hoje foram transaccionadas 83,3 milhões de acções no principal índice da bolsa portuguesa, correspondentes a um volume de negócios de 383,9 milhões de euros.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.