Fisco publica edital no JN para penhora de passes de sete jogadores do Boavista


 

Lusa/Ao   Futebol   3 de Nov de 2007, 13:36

O serviço de finanças do Porto publicou um edital no Jornal de Notícias com o anúncio da penhora do passe de sete futebolistas do Boavista, como garantia por uma dívida fiscal do clube.
Os jogadores cujos passes são penhorados nos anúncios hoje publicados são: Mário Silva, Marcus Nóbrega (Marquinho), Essame Stephane, Hugo Monteiro, Gilberto Silva, Ricardo Silva e Nuno Pinto.
A SAD do Boavista divulgou sexta-feira um comunicado confirmando que as penhoras incidiam sobre passes de jogadores por dívidas ao Fisco que ascendiam a 1.180 milhões de euros.
Os editais do Fisco dizem que a venda dos passes será feita no dia 10 de Dezembro, pelas 10h00, pela entrega em carta fechada de propostas.
A Agência Lusa contactou o Ministério das Finanças, mas fonte oficial recusou-se a confirmar esta informação, dizendo que as Finanças não comentam casos concretos da administração fiscal.
A penhora do passe de jogadores é inédita em Portugal e levanta o problema de, caso apareça uma proposta para a compra do passe de um jogador em leilão, se ele sai do clube ou não, já que é preciso conhecer a vontade do atleta.
A notícia da penhora dos atletas apanhou desprevenido o único candidato à liderança do Boavista, Joaquim Teixeira, que pediu uma reunião de urgência com o presidente demissionário, João Loureiro, tendo ambos se encontrado na noite de sexta-feira.
Após um jantar com o líder demissionário, Joaquim Teixeira declarou-se "satisfeito" com os esclarecimentos dados.
"Dou-me por satisfeito", resumiu Joaquim Teixeira à saída, afirmando estar agora na posse dos documentos sobre este caso, incluindo um "cheque" com que o clube terá pago já 332.929 euros da dívida, tendo acrescentado que a situação não iria abalar a sua candidatura.
No comunicado, a SAD do Boavista confirmou ter dado os direitos desportivos à Administração Fiscal e garantiu que solicitou um pagamento para a dívida em prestações.
O Boavista reconhece que a Administração Fiscal solicitou "o pagamento prestacional de um valor relativo a impostos de aproximadamente 1.180.000 euros", dos quais teria entregue 332.929 euros. A SAD do Boavista diz ainda ter "reiterado, em 25 de Outubro, o requerimento de pagamento prestacional (…) cujo deferimento" aguarda "a qualquer momento".
 Além do pagamento prestacional, a SAD diz ter ao seu dispor "vários outros instrumentos legais para regularização do valor remanescente, até 10 de Dezembro próximo, sem necessidade de pagamento integral imediato".
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.