Filipe Albuquerque perde vitória nas 10 horas de Petit Le Mans na última volta por falta de combustível

Filipe Albuquerque perde vitória nas 10 horas de Petit Le Mans na última volta por falta de combustível

 

Lusa/Ao online   Outras modalidades   14 de Out de 2018, 03:00

O piloto português Filipe Albuquerque terminou este sábado em quarto lugar as 10 Horas de Petit Le Mans, em Road Atlanta, Estados Unidos da América, perdendo a vitória na última volta por falta de combustível.

O piloto de Coimbra comandou a derradeira meia hora desta última prova do campeonato americano de resistência, o IMSA WeatherTech SportsCar Championship, acabando por ser ultrapassado nas duas últimas curvas por três adversários quando o seu Cadillac da Mustang Sampling Racing ficou sem combustível.

Albuquerque, que faz equipa com Christian Fittipaldi e Tristian Vautier, cruzou a meta a 9.458 segundos do vencedor, Renger van der Zande, noutro Cadillac.

"O motor começou a falhar na última chicane. Eles estavam próximos e passaram. Foi muito frustrante", comentou, no final, o piloto português, que se viu obrigado a "poupar combustível". "Pensámos que chegaria mas afinal foi curto. A nossa segunda metade da época resume-se a falta de sorte aqui e ali. Cheirámos o troféu mas não o pudemos segurar", concluiu o piloto português, que partiu para esta prova na sexta posição do campeonato e já sem possibilidades matemáticas de lutar pelo título.

O português João Barbosa, habitualmente um dos pilotos titulares da equipa, não pôde participar nesta prova em virtude de um acidente sofrido na corrida anterior, em Laguna Seca. O piloto portuense magoou a mão direita na sequência do embate e em Road Atlanta foi substituído por Tristian Vautier.

Tendo partido da sexta posição da grelha, Filipe Albuquerque saltou para a liderança quando faltavam 26 minutos para o final da prova, mantendo uma vantagem inferior a um segundo. Na última volta, contudo, a vantagem subiu para 1.4 segundos mas o esforço acrescido acabou por consumir demasiado combustível.

O outro português em prova, Álvaro Parente, terminou na 22.ª posição mas foi segundo classificado da classe GTD, fazendo equipa com Trent Hindman e Katherine Legge num Acura da Meyer Shark Racing.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.