Festival do Amor evoca Mariana Alcoforado e "apaixona" Beja a partir de hoje


 

Lusa/AO   Nacional   28 de Set de 2007, 06:16

Barraquinhas de beijos, petiscos afrodisíacos, astrólogos e videntes com previsões de sorte ou azar, música, livros e conversas sobre assuntos do coração vão "apaixonar" Beja, a partir de hoje, durante o segundo Festival do Amor.
Com mais de 20 iniciativas em vários espaços do centro histórico de Beja, o certame, promovido pela Região de Turismo Planície Dourada, vai explorar, até domingo, o imaginário romântico de Mariana Alcoforado, a freira e figura mítica da cidade que viveu uma das grandes histórias de amor em Portugal.

    O "coração" do festival, a Feira do Amor, que vai decorrer na Praça da República, ao longo do evento, começa a "bater" a partir das 18:00 de hoje, marcando o "pontapé de saída" de três dias do evento.

    A feira vai oferecer barraquinhas de beijos, doces conventuais, livros e discos relacionados com assuntos do coração, tasquinhas com petiscos e produtos afrodisíacos, tendas de astrólogos e cartomantes.

    Uma sessão de declamação de poesia erótica, por Luís Graça e Rui Unas, seguida da sensualidade e do "glamour" das músicas do projecto português La Vie en Rose, que explora um encontro entre as culturas francesa, portuguesa e brasileira, vão marcar a primeira "noite de amor", no Teatro Municipal Pax Julia.

    Um "show transformista", uma Festa Afrodisíaca, com um concerto do músico português Adi Cudz, um "show de striptease", um espectáculo de dança do ventre e uma "Love Party" são as outras ofertas da primeira noite.

    A peça "As vampiras Lésbicas de Sodoma", pela Companhia de Teatro do Chiado, um espectáculo de homenagem ao compositor brasileiro Vinicius de Moraes e o concerto do fadista Rouxinol Faduncho, a personagem criada pelo actor Marco Horácio, prometem "amor com humor" no sábado à noite.

    O espectáculo cómico "É Por Aqui...", também pela Companhia de Teatro do Chiado, a sessão de curtas-metragens "Paris, Je T'aime", com a exibição de uma colectânea de pequenas histórias de amor, são algumas das ofertas do último dia do evento.

    As "Jornadas do Amor", com conversas sobre assuntos relacionados com a temática, sessões de contos, oficinas de escrita erótica e comida afrodisíaca, ateliers de reiki, reflexologia e massagens, sessões de yoga e de "meditação pelo amor incondicional", são outras ofertas do festival.

    Inspiradora de poetas, romancistas e pintores, Mariana Alcoforado, a religiosa da Ordem de Santa Clara, do Convento da Conceição de Beja, nasceu, viveu e apaixonou-se na cidade pelo cavaleiro francês Noël Bouton, Marquês de Chamilly.

    A mítica freira ficou imortalizada pelas célebres cinco cartas de amor - "Cartas Portuguesas" - dirigidas ao cavaleiro e que são o testemunho da sua paixão não correspondida, que perdura no tempo e tem despertado o interesse de todo o mundo.

    Desde a primeira edição, datada de 04 de Janeiro de 1669, com o título "Lettres Portugaises Traduites en François", até hoje, sucederam-se centenas de edições das cartas em diferentes idiomas, além de poemas, peças de teatro, filmes e outras obras de interpretação plástica e musical inspiradas na história de amor de Mariana Alcoforado.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.