Fenprof analisa com Ministério situação de professores que vão ficar desempregados

Fenprof analisa com Ministério situação de professores que vão ficar desempregados

 

Lusa/AO Online   Nacional   24 de Ago de 2011, 07:28

A Fenprof vai hoje ao Ministério da Educação analisar a situação dos docentes que vão ficar desempregados devido à aplicação de novas regras dos horários e alertar para o que pode representar "o maior despedimento de sempre" de professores.

O secretário-geral da Fenprof Mário Nogueira transmitiu preocupação em relação a profissionais contratados há muitos anos e mesmo dos quadros que podem ficar fora do serviço no próximo ano letivo.

"Milhares de professores contratados estão em vias de ficar desempregados, o que pode significar o maior despedimento de sempre de professores, contratados mas com 18 ou 20 anos de serviço que, devido a alterações às normas de elaboração de horários, vão ficar fora do serviço", mas também de profissionais que estão nos quadros, referiu Mário Nogueira.

Estes professores dos quadros ficaram com horário zero e não sabem se ficam colocados.

"Temos de evitar que entrem nos circuitos da mobilidade especial, que são uma antecâmara do desemprego", considerou o dirigente sindical, defendendo que, caso não haja destacamento para estes docentes, eles irão "permanecer nas escolas a cujo quadro pertencem".

Os representantes destes profissionais também pretendem levar ao Ministério o caso dos professores que estão com situação de doenças graves, mas que podem e devem trabalhar, necessitando de ser colocados em escolas junto a centros de saúde para realizarem os seus tratamentos.

Numa audição parlamentar no final de julho, o ministro Nuno Crato admitiu que este ano haveria menos contratações e um aumento de "horários zero".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.