Literatura marginal

Feira no Porto deixa "roubar" livros


 

Lusa / AO online   Nacional   22 de Nov de 2007, 12:18

A Escola Artística e Profissional Árvore, no Porto, acolhe entre 4 e 7 de Dezembro a sexta edição do Mercado Negro - Feira do Livro Alternativo, onde mais uma vez será permitido "roubar" livros.
Raul Simões Pinto, co-organizador desta feira bienal, disse à agência Lusa que, à semelhança das edições anteriores, haverá uma "zona de roubo", uma caixa de onde "será possível roubar um livro numa compra igual ou superior a 30 euros".

O valor fixado para este ano reforça o "incentivo ao roubo" de livros, dado que em 2005 só poderiam "deitar mão" à caixa os visitantes que fizessem compras superiores a 35 euros.

O VI Mercado Negro vai ter à venda centenas de títulos de literatura "vadia", marginal e alternativa, na generalidade de edições muito pequenas e sem acesso ao circuito comercial normal.

A feira assume-se já como ponto de encontro do que Raul Simões Pinto, autor dos livros "Putas à Moda do Porto" e "As Tascas do Porto", classifica como "a família marginal".

O Mercado Negro é organizado pela Escola Árvore, pelas editoras independentes Edições Mortas, Estratégias Criativas, Black Sun, Vendaval, Canto Escuro, Corpos e Chili Com Carne, e pelas revistas Águas Furtadas, Intervalo, Boca de Inferno, Nada, Húmus, Big Ode e Coice de Mula, entre outras

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.