Liga dos Campeões

FC Porto pode chegar aos 90ME em receitas diretas

FC Porto pode chegar aos 90ME em receitas diretas

 

Lusa/Ao online   Futebol   7 de Abr de 2019, 12:14

O FC Porto pode aumentar a sua receita na Liga dos Campeões em futebol para mais de 90 milhões de euros (ME), precisando para isso de afastar o Liverpool nos quartos de final, feito que lhe valerá 12ME.

Para já, a contabilidade dos portistas vai em 78,44 ME, após um percurso na ‘Champions’ 2018/19 em que os detentores do título português somaram seis vitórias, um empate e uma derrota, com 19 golos marcados e nove sofridos.

O derradeiro triunfo foi conseguido em 06 de março, face à Roma, por 3-1, após prolongamento, no Estádio do Dragão – após um desaire por 2-1 em Itália -, em embate da segunda mão os oitavos de final da principal prova europeia de clubes.

A formação ‘azul e branca’ conquistou o direito de disputar a prova ao arrebatar a edição 2017/18 da I Liga portuguesa, feito que lhe valeu entrada direta na fase de grupos da ‘Champions’ e um prémio monetário de 15,23 ME pela presença.

Pelo ‘ranking’ da UEFA nos últimos 10 anos, um extra que o organismo implementou na presente temporada, o FC Porto, sétimo colocado entre os 32 finalistas, recebeu mais 28,81 ME (1,108 a multiplicar pela posição inversa na tabela).

Depois, o conjunto de Sérgio Conceição aproveitou da melhor forma um sorteio favorável para totalizar 16 pontos no Grupo D, face a Lokomotiv Moscovo, Schalke 04 e Galatasaray, e amealhar mais 14,4 ME (2,7 por vitória e 0,09 por empate).

Com o consequente apuramento para os ‘oitavos’, o FC Porto conseguiu mais 9,5 ME.

Os ‘dragões’ qualificaram-se e como primeiros do agrupamento, evitaram logo vários ‘tubarões’: também não lhes tocou os que havia no Pote 2, mas a Roma, que o FC Porto ultrapassou, adicionando 10,5 ME ao cofre, para um total de 78,44.

Agora, o FC Porto tem ao alcance mais 12 ME, o prémio para os conjuntos que atingirem as meias-finais: para isso, será preciso afastar o Liverpool, que a época passada, nos ‘oitavos’, goleou no Dragão por 5-0 e depois ‘controlou’ (0-0) em Anfield Road.

Caso cometam a proeza de afastar os ‘redes’, e atinjam as meias-finais, os ‘dragões’ aumentam o total para 90,44 ME e ficam a um ‘passo’ de ultrapassar os 100ME, valor que, no último defeso, a Juventus pagou ao Real Madrid para contratar Cristiano Ronaldo.

O prémio para cada finalista é de 15ME, com o sucessor do Real Madrid, vencedor das últimas três edições da prova, a ter direito a ainda mais quatro: se repetirem 1986/87 e 2003/04, os ‘dragões’ atingem ‘astronómicos’ 109,44 ME.

Ao contrário dos ‘dragões’, o Benfica não passou sequer a fase de grupos, ao ficar no terceiro no Grupo E, atrás de Bayern Munique e Ajax, pelo que foi relegado para a Liga Europa e fechou a ‘Champions’ 2018/19 com 49,23 ME.

Com a ‘bênção’ do Sporting, mais precisamente de uma ‘inoportuna’ derrota dos ‘leões’ no reduto do Marítimo a fechar o último campeonato, o Benfica foi segundo na I Liga 2017/18 e, como tal, ficou a duas eliminatórias dos milhões.

Os ‘encarnados’ conseguiram ultrapassar a terceira pré-eliminatória e o ‘play-off’, atingindo a fase de grupos, para garantirem, desde logo, os 15,23 milhões de presença, mais 27,7 pelo oitavo posto no ‘ranking’ da UEFA dos últimos 10 anos.

A estes 42,93 ME, o clube da Luz conseguiu adicionar 6,3 pelos resultados obtidos na fase de grupos (duas vitórias e um empate).

Além destes valores fixos, ainda há outros variáveis, como os que têm a ver com a televisão, o ‘Market Pool’, e ainda as receitas de bilheteira e mais tudo o que está associado a um encontro da principal prova europeia de clubes.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.