FC Porto em serviços mínimos vence Moreirense no Dragão

FC Porto em serviços mínimos vence Moreirense no Dragão

 

Lusa/Ao online   Futebol   2 de Set de 2018, 23:36

O FC Porto regressou este domingo às vitórias na I Liga de futebol, ao vencer o Moreirense no Dragão, por 3-0, para a quarta jornada, num jogo que marcou o regresso de Danilo e a estreia de Militão.

Coube mesmo ao defesa brasileiro que o FC Porto contratou ao São Paulo a assistência para o primeiro golo, anotado por Herrera, aos 15 minutos, na sequência de um pontapé de canto. Aboubakar fez o segundo, aos 28, no melhor lance de ataque dos campeões nacionais no jogo, e Marega fechou as contas já nos descontos, aos 90+4, confirmando uma vitória justa da melhor, mais eficaz e hoje mais pragmática equipa.

A inesperada derrota com o Vitória de Guimarães (3-2), na jornada anterior, foi um aviso para um FC Porto há muito invicto no Dragão, levando Sérgio Conceição a mexer no 'onze', com a inclusão de Éder Militão e Marega, o primeiro em estreia absoluta esta época, em substituição de Diogo Leite e do lesionado André Pereira.

Brahimi acabou por recuperar e também foi incluído na equipa inicial, num 'desenho' em tudo semelhante ao que o FC Porto costuma apresentar, com a diferença de a eficácia desta feita estar bem acima da exibição.

Sem nunca perderem o controlo do jogo, os 'dragões' não foram a equipa demolidora e alegre em campo do jogo com o Chaves (vitória por 5-0), no arranque da prova, jogaram hoje sem grande velocidade, falharam vários passes na zona de construção e não foram tão agressivos à perda, com Marega, nomeadamente, a parecer ainda um 'corpo algo estranho' neste FC Porto 2018/19.

Os campeões nacionais marcaram nos lances claros de golo que tiveram, com Herrera a 'fuzilar' na pequena área a baliza de Jhonatan, depois de um desvio de cabeça de Éder Militão. Estavam jogados 15 minutos e até aí só tinha havido registo de um lance corrigido por Hélder Malheiro de alegada grande penalidade na área do Moreirense.

Com o marcador aberto, os 'dragões' soltaram-se e chegaram ao segundo, num lanjce em que Otávio, sobre a direita, adiantou a bola para Marega, nas costas da defesa do Moreirense, correr para a área e, na passada, acertar no poste, tendo Aboubakar, na recarga, não perdoado.

Ivo Vieira, no Moreirense, repetiu o 'onze' que empatou frente ao Belenenses (1-1) e montou um 'colete de forças' que os 'portistas', algo lentos de processos, sentiram dificuldades de ultrapassar: os dois alas encostavam quase aos laterais, para condicionarem o jogo exterior, defendiam com um meio-campo em losango e a defesa subida, para encurtar espaço.

Para a segunda parte, o FC Porto manteve o pragmatismo, sem melhorar a qualidade de jogo, chegando a ouvir-se até uns espaçados assobios dos adeptos mais exigentes, mas a equipa, desta feita, conseguiu manter a baliza a zero e até podia ter feito mais golos, por Brahimi ou Alex Telles, aos 57 e 87 minutos, respetivamente, acabando por marcar já nos descontos, por Marega, num lance de insistência à 'boca' da baliza.

Com este triunfo, o nono dos 'azuis e brancos' em outros tantos confrontos no Dragão com os 'cónegos' para a I Liga, o FC Porto passou a somar nove pontos, a um dos líderes Benfica, Sporting de Braga e Sporting, enquanto o Moreirense mantém os quatro pontos, fixando-se no 13.º lugar.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.