Experimentação caracteriza nova era do Walk&Talk

Experimentação caracteriza nova era do Walk&Talk

 

Ana Carvalho Melo   Cultura e Social   12 de Jul de 2019, 11:14

Até 20 de julho, São Miguel acolhe a nona edição do Festival Walk&Talk, durante a qual cerca de 80 artistas vão apresentar trabalhos, muitos dos quais projetos inéditos criados em residência no arquipélago

“Durante alguns anos, o nosso foco era o sítio onde o festival acontecia - o facto de estarmos nos Açores - e a associação do festival ao lugar. Agora estamos a entrar numa nova era do Walk&Talk - a um ano de fazermos 10 anos - na qual sentimos que os curadores e programadores que vieram visitar o festival, assim como os jornalistas, se focam na qualidade do programa e na ideia do festival como lugar de criação e de experimentação, com coisas que correm bem e outras mal, mas que é um festival que arrisca”, afirmou o diretor artístico do evento.



Ler mais na edição desta sexta-feira, 12 julho 2019, do jornal Açoriano Oriental


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.