Câmara de Lisboa

Executivo quer construir sete escolas e reabilitar 26


 

Lusa/Ao online   Nacional   11 de Dez de 2007, 05:50

O orçamento da Câmara de Lisboa para 2008 prevê a construção de sete escolas e a reabilitação de 26, inclui a revitalização da Baixa Chiado e da Frente Ribeirinha e aponta para a venda de 1.110 fogos.
A recuperação de eventos como a Moda Lisboa, cuja última edição se realizou em Cascais, e da Experimenta Design, cancelada por falta de verbas, são outros objectivos propostos pelo executivo PS/BE para 2008.

    O orçamento para 2008, de 545,9 milhões de euros, prevê uma redução global da despesa em 253,5 milhões euros, conforme disse à agência Lusa fonte da Presidência da Câmara.

    Trata-se do primeiro orçamento em que é aplicado o plano de saneamento financeiro da autarquia lisboeta.

    “Iniciar o programa especial de modernização e expansão do pré-escolar e primeiro ciclo, fortemente assente num programa de parcerias, que se traduzirá no lançamento da construção de sete novas escolas e na reabilitação das 26 escolas mais degradadas”, é um dos objectivos para 2008.

    O orçamento prevê a atribuição de “habitações municipais com contrato de arrendamento e iniciar o processo de venda de cerca de 1.110 fogos de habitação municipal aos inquilinos”.

    O executivo quer, em 2008, “dinamizar a operação de revitalização da Baixa-Chiado com a elaboração do plano de salvaguarda e de projectos estruturantes exemplares na área da cultura, do património, das actividades económicas, da habitação e da mobilidade”.

    O plano para 2008 aponta para uma “prioridade à parceria com o Estado para a devolução da zona ribeirinha à cidade, com o desenvolvimento de projectos específicos na zona fronteira ao Terreiro do Paço - Ribeira das Naus, Belém e Pedrouços - Doca Pesca”.

    Esta também prevista uma parceira com o Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana (IRHU) para o “financiamento dos grandes programas de reabilitação dos Bairros das Amendoeiras, Lóios, Condado e Armador”.

    O início da requalificação dos Bairros Padre Cruz, Boavista, Liberdade e São João de Brito está igualmente previsto para o próximo ano, bem como a reabilitação urbana de áreas da cidade como o Parque Mayer e Jardim Botânico, Bairro Alto e Ajuda-Belém.

    “Lançar o programa de reabilitação do património municipal disperso na cidade e de outros edifícios propriedade de instituições públicas e de solidariedade social (cerca de 400 edifícios devolutos e degradados”, é outra das metas para 2008.

    Em 2008, o executivo conta “iniciar a recuperação dos equipamentos em elevado estado de degradação, como os complexos desportivos dos Olivais e de São João de Brito, o Pavilhão Carlos Lopes e as piscinas do Areeiro e Campo Grande”.

    “Instalar a rede de percursos pedonais e cicláveis, de cerca de 85 quilómetros, e corredores verdes da cidade, estruturantes da execução do Plano Verde”, consta também do plano para o próximo ano.

    O executivo pretende “relançar o processo de revisão do Plano Director Municipal, tendo em conta os grandes projectos de obras públicas na Área Metropolitana de Lisboa e o seu impacto na cidade de Lisboa”.

    A receita estrutural do orçamento para 2008 é de 493.209.750 euros, a receita extraordinária é de 45.327.388 e o financiamento alheio é de 7.446.086 euros.

    O orçamento para 2008 é apresentado pelo presidente da Câmara, António Costa, e pelo vereador das Finanças, Cardoso da Silva, às 11:30, no edifício dos Paços de Concelho.

   

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.