Executivo quer afirmar os Açores no contexto do Espaço

Executivo quer afirmar os Açores no contexto do Espaço

 

Susete Rodrigues/AO Online   Regional   28 de Jun de 2018, 17:16

O Diretor Regional da Ciência e Tecnologia manifestou, em Vila do Porto, o “grande orgulho” com que os Açores acolhem, pela primeira vez, a competição europeia do concurso CanSAT, da Agência Espacial Europeia (ESA).

Bruno Pacheco frisou que, “desde 2015, os Açores têm sido palco das competições regionais e nacionais do CanSAT”, acrescentando que “fazia sentido que a final europeia deste ano também se pudesse realizar na ilha de Santa Maria”.

O Diretor Regional, que falava na sessão de abertura da competição europeia ‘CanSAT 2018’, frisou que o Governo dos Açores “reconhece a importância das disciplinas STEM (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática) e da área do Espaço”, trabalhando, por isso, para garantir que estes temas sejam “uma realidade no quotidiano açoriano”.

Neste sentido, apontou medidas e ações que permitem aos alunos da Região entrarem em contacto com esta realidade, nomeadamente através da criação dos Clubes de Robótica e Programação que já foram implementados em algumas escolas e que vão ser estendidos a todas as escolas açorianas.

Na sua intervenção, Bruno Pacheco salientou que o Governo dos Açores "está a trabalhar para que os professores possam, num futuro próximo, ter uma formação mais intensiva sobre a educação espacial e para que as áreas STEM sejam cada vez mais difundidas entre os mais jovens”.

“Este evento que começa hoje em Santa Maria é mais um passo que o Governo dos Açores dá no sentido de criar condições para que a área do Espaço seja uma realidade no dia a dia da sociedade açoriana”, disse, acrescentando que se pretende “afirmar os Açores no contexto do Espaço”.

“Só podemos criar raízes nestas matérias se compreendermos a importância que [estes investimentos] têm para a nossa realidade do ponto de vista económico, e o seu potencial para criar emprego qualificado, tornando os Açores mais apetecíveis para a fixação de quadros e talentos açorianos” e estrangeiros, acrescentou o Diretor Regional.

 Na sessão de abertura da competição, que contou também com a presença da Diretora da Unidade de Educação da ESA, Monica Talevi, o Diretor Regional da Ciência e Tecnologia, dirigindo-se aos concorrentes, elogiou o facto de “tantos jovens perceberem que o Espaço é um tema maravilhoso e uma área curricular que nos inspira a fazer tantos trabalhos diferentes”.

“Tão importante como ganhar o primeiro, o segundo ou o terceiro lugar, é mostrarem o que são capazes de fazer e aproveitar esta aventura de chegarem a este arquipélago atlântico e partilharem o vosso conhecimento e a vossa cultura”, disse Bruno Pacheco.

Dirigido a alunos dos ensinos secundário e profissional, este concurso tem como principal objetivo a construção, configuração e lançamento de um minissatélite do tamanho de uma lata de refrigerante, que será lançado a 1.000 metros de altitude por foguetes e acompanhado pelos alunos por telemetria.

Em competição vão estar 18 equipas e cerca de uma centena e meia de alunos e professores de vários países europeus, além de uma equipa convidada do Japão.

Áustria, Alemanha, Suécia, Hungria, Finlândia, Noruega, Grécia, República Checa, Polónia, Reino Unido, Holanda, Itália, Espanha, Dinamarca, Portugal, Irlanda, Roménia e Bélgica são os países em competição.

O 'CanSAT 2018’, organizado pela Agência Espacial Europeia, em parceria com o Governo dos Açores, termina sábado, 30 de junho.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.