Eleições

Ex-Presidente Jorge Sampaio considera fundamental que portugueses votem

Ex-Presidente Jorge Sampaio considera fundamental que portugueses votem

 

Lusa/Ao online   Nacional   6 de Out de 2019, 11:55

O antigo Presidente da República Jorge Sampaio apelou este domingo aos portugueses para que votem nas eleições legislativas, considerando fundamental para a democracia a participação nos atos eleitorais.

“É fundamental que votem porque é a única maneira de podermos exprimir as nossas convicções, opiniões, visão sobre o futuro que cada um deve ter e assumir a nossa parte de responsabilidade”, disse à agência Lusa Jorge Sampaio, após ter votado para as eleições legislativas na Escola Básica Marquesa de Alorna, em Lisboa.

O antigo Presidente da República acrescentou que “sem isso a democracia não funciona”.

Jorge Sampaio votou cerca das 11:30 acompanhado pela mulher, Maria José Ritta.

Mais de 10,8 milhões de eleitores recenseados no território nacional e no estrangeiro são hoje chamados às urnas para escolher a constituição da Assembleia da República na próxima legislatura e de onde sairá o novo Governo.

Segundo a Secretaria Geral do Ministério da Administração Interna (SGMAI), podem votar para as eleições de hoje 10.810.662 eleitores, mais cerca de 1,1 milhões do que nas anteriores legislativas, em 2015, devido ao recenseamento automático no estrangeiro.

Esta é a 16.ª vez que os portugueses serão chamados a votar em legislativas, concorrendo a estas eleições um número recorde de forças políticas – 20 partidos e uma coligação – embora apenas 15 se apresentem a todos os círculos eleitorais.

No total, são eleitos 230 deputados numas eleições que, ao longo dos anos, têm vindo a registar um aumento da taxa de abstenção.

Em 2015, a taxa de abstenção atingiu o recorde de 44,4%, comparando com os 8,3% nas eleições para a Assembleia Constituinte, em 1975, ou os 16,4% das primeiras legislativas, em 1976.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.