Economia

Eurostat valida défice orçamental português de 2007


 

Lusa/AOonline   Economia   22 de Out de 2008, 12:41

O Eurostat validou os dados do défice orçamental português de 2007 transmitidos por Lisboa, 2,6 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), o quinto mais elevado na União Europeia.
Os dados publicados pelo organismo responsável pelas estatísticas europeias dão conta de um défice orçamental de 2,6 por cento do PIB em 2007 e de uma divida pública de 63,6 por cento do PIB, no mesmo ano.

    Trata-se da segunda notificação anual dos dados transmitidos pelos institutos de estatísticas nacionais, sendo os números portugueses idênticos aos publicados em Abril.

    Segundo já tinha sido divulgado pelo Instituto Nacional de Estatísticas em Março passado, o défice público português ficou em 2007, pela primeira vez em quatro anos, abaixo do limite de 3,0 por cento imposto pelo Pacto de Estabilidade e Crescimento dos 27.

    Este saldo orçamental (diferença entre as receitas e as despesas públicas) representa uma melhoria face aos 3,9 por cento obtidos em 2006, depois de em 2005 esse valor ter sido de 6,1 por cento.

    Em 2007, os défices públicos mais elevados, em relação ao PIB, foram observados na Hungria (menos 5,0 por cento), Grécia (menos 3,5), Reino Unido (menos 2,8), França (menos 2,7) e Portugal e Roménia (menos 2,6).

    Doze Estados-membros registaram um excedente do saldo público no ano passado: Finlândia (5,3), Dinamarca (4,9), Suécia (3,6), Chipre (3,5), Luxemburgo (3,2), Estónia (2,7), Espanha (2,2), Eslovénia (0,5), Holanda (0,3), Irlanda (0,2), Bulgária (0,1), e Letónia (0,1).

    O défice público na Zona Euro diminuiu, em valor absoluto, de 1,3 por cento do PIB em 2006 para 0,6 em 2007 e na UE de 1,4 para 0,9, respectivamente.

    A divida pública portuguesa evoluiu de 63,6 por cento do PIB em 2005 para 64,7 em 2006 e 63,6 no ano passado.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.