Açoriano Oriental
EUA vão acolher refugiados que estão nos centros australianos do Pacífico
Os Estados Unidos vão acolher os refugiados que estão em centros para imigrantes geridos pelo Governo da Austrália em Nauru e Papua Nova Guiné, no Pacífico, informou hoje o primeiro-ministro australiano, Malcolm Turnbull.
EUA vão acolher refugiados que estão nos centros australianos do Pacífico

Autor: AO/Lusa

 

O número de refugiados que os EUA vão acolher é desconhecido, embora se calcule que ambos os centros reúnam mais de mil pessoas, entre homens, mulheres e crianças, procedentes de países como o Iraque, Síria ou Somália, escreve a agência espanhola Efe.

“Posso confirmar que o Governo chegou a um acordo de reassentamento com um país terceiro. Este acordo é com os Estados Unidos”, disse Turnbull numa conferência de imprensa em Camberra, com o titular da pasta da Imigração, Peter Dutton, e outros dirigentes ligados à proteção das fronteiras.

“É um acordo único. Não se repetirá. Só vai afetar aqueles que se encontram nos centros regionais de processamento”, afirmou, sublinhando que o reassentamento dos refugiados, na qual será “dada prioridade “às mulheres, crianças e famílias”, será gerido pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

Antes, o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, anunciou também este acordo a partir da cidade neozelandesa de Wellington, onde se encontra em visita oficial desde sábado.

Kerry sublinhou que a crise dos refugiados é “um assunto premente” e instou todos os países a “trabalharem com o ACNUR” como os EUA estão a fazer para encontrarem uma solução duradoura para a crise destes refugiados.

Segundo a estação australiana ABC, o Governo de Camberra tem estado em conversações com os Estados Unidos, Canadá e Nova Zelândia para o reassentamento de 390 imigrantes em Nauru e dos 872 da ilha de Manus, na Papua Nova Guiné, segundo dados oficiais de 31 de outubro.

A Austrália utiliza desde 2012 os centros de Manus e Nauru para tramitar os pedidos de asilo de imigrantes em situação irregular intercetados no mar em barcos que tentar chegar às suas costas.

No caso de lhes ser reconhecido o estatuto de refugiados, são reassentados em países terceiros.

A ONU e grupos de defesa dos direitos humanos criticaram estes centros de detenção ao qualificarem de "desumanas" as precárias condições em que vivem os detidos.

 

PUB
 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.