Açoriano Oriental
EUA responsáveis por minimizar impacto da redução de efetivos na Base das Lajes
Para o presidente do Governo, Vasco Cordeiro, cabe aos Estados Unidos da América minimizar o impacto que a redução de efetivos na Base das Lajes vai provocar ao nível económico e social na Região.

Foto: GACS
Autor: Ana Carvalho Melo

“Só esse comportamento é que estará de acordo com o espírito do acordo de cooperação e defesa. Dito de outra forma, só esse comportamento é que respeitará o espírito do acordo de cooperação e defesa”, afirmou Vasco Cordeiro, explicando que “os Estados Unidos estão nos Açores há 60 anos e que uma decisão com este impacto social e económico acarreta responsabilidades, para quem beneficiou da utilização de instalações aqui nos Açores, de curar o impacto económico deste tipo de decisão”.

O presidente do Governo falava à Açores TSF após receber em audiência a direção do Coral de São José – Associação Musical no Palácio de Santana, em Ponta Delgada.

Vasco Cordeiro lançou ainda o desafio ao Governo da República de explicar aos trabalhadores da base os “termos e contornos” do plano de redução da presença norte-americana na base das Lajes.

“As autoridades nacionais devem dar conta, em especial aos trabalhadores da Base, o mais rapidamente possível dos exatos termos e contornos deste plano. Não é ao Governo dos Açores que compete esse tarefa pelos mais diversos motivos de entre os quais releva, naturalmente, o facto de o Governo dos Açores não ter ouvido da parte das autoridades americanas esse plano.”, afirmou.

Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.