Estado de emergência na Geórgia pode terminar


 

Lusa / AO online   Internacional   9 de Nov de 2007, 09:39

O Parlamento da Geórgia decidiu não incluir na agenda o decreto presidencial que impõe o estado de emergência por 15 dias, o que significa que a situação de excepção termina ao início da noite.
A notícia foi dada pela agência Interfax, citando o serviço de imprensa da Assembleia Legislativa georgiana.

O estado de emergência foi imposto pelo presidente, Mikhail Saakachvili, ao início da noite de quarta-feira por um período de 15 dias depois de se terem registado graves incidentes entre manifestantes da oposição georgiana e a polícia.

Porém, segundo a Constituição da Geórgia, o Parlamento deve analisar a legalidade do documento num período até 48 horas.

Se não o fizer, o decreto presidencial deixa de vigorar.

Entretanto, a oposição georgiana promete apresentar um candidato único para disputar as eleições presidenciais, que o Presidente Saakachvili marcou para 05 de Janeiro de 2008.

"Não duvido que teremos um candidato único, mas penso que este não é um tema para hoje, mas para amanhã" - declarou Gueorgui Khaindrava, um dos dirigentes da oposição georgiana.

"Mesmo se o adversário de Saakachvili tiver apenas um quiosque para jornais, a oposição vencerá as eleições", acentuou.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.