Especialistas debatem em Ponta Delgada estratégias para a conservação em ambientes insulares

Especialistas debatem em Ponta Delgada estratégias para a conservação em ambientes insulares

 

Lusa/AOOnline   Regional   22 de Abr de 2019, 09:22

Especialistas nacionais e internacionais levam a cabo nos próximos dias 29 e 30 de abril, em Ponta Delgada, um debate sobre os desafios e estratégias para a conservação em ambientes insulares, num conferência onde estarão representados mais de oito projetos Life de conservação ambiental.

Numa nota enviada às redações, a Socidedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA), que organiza através do projeto Life+ Terras do Priolo, a conferência internacional, adianta que os temas em debate "abrem uma janela para o que se faz a nível de conservação na Europa, acentuando de uma forma muito especifica as dificuldades enfrentadas na conservação em ilhas".

Estarão representados nesta conferência internacional mais de oito Projetos LIFE de vários países, incluindo Portugal, assim como outras entidades regionais, acrescenta ainda a SPEA, que promove a conferência internacional intitulada “Desafios e Estratégias para a conservação em ambientes insulares”, na Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Ponta Delgada, em São Miguel.

Alguns dos projetos LIFE que estarão presentes serão o Life Vidalia dos Açores, Life+ Rabiche de Gran Canária, o Life PonDerat de Itália, o Life+ Pinzón da Gran Canária, assim como entidades como o Expolab (centro de ciência viva dos Açores, na Lagoa em São Miguel), o Invasoras.pt da Universidade de Coimbra, o Centro Ambiental do Priolo ( no Nordeste, em São Miguel), entre outros.

No caso do Life+ Terras do Priolo (ave endémica açoriana), na conferência será divulgado o trabalho e os resultados obtidos ao longo da implementação daquele projeto para conservação daquela espécie.

"o projeto arrancou em julho de 2013 e está na sua reta final de execução, já que termina em junho de 2019, e teve como principal objetivo "a conservação da população mundial de Priolo (Pyrrhula murina) na Zona de Proteção Especial (ZPE) Pico da Vara/Ribeira do Guilherme (ilha de São Miguel), a sua área de distribuição mundial", frisa a nota da SPEA.

De acordo com a SPEA, o projeto permitiu implementar "medidas inovadoras de gestão e restauração da floresta Laurissilva (habitat do priolo), monitorização da biodiversidade, gestão do uso público, sensibilização das populações e promoção da sustentabilidade a longo prazo".

O Life+ Terras do Priolo resulta de uma parceria entre a Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA) e a secretaria regional de Energia, Ambiente e Turismo (SREAT), com a contribuição do instrumento financeiro LIFE da Comunidade Europeia, explica a página na internet do projeto.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.