Greve Geral

Escolas encerradas, hospitais e autarquias a meio gás

Carregando o video...

 

Lusa/AO online   Regional   24 de Nov de 2010, 14:52

Escolas fechadas, serviços de atendimento ao público das autarquias encerrados, lixo por recolher, transportes aéreos e marítimos entre as ilhas condicionados e hospitais com serviços mínimos são alguns dos efeitos mais visíveis da greve geral nos Açores.
“Os serviços grandemente afectados no arquipélago, e muitos encerrados, são no sector da saúde, escolas, autarquias (atendimento ao público e recolha de lixo), transporte aéreo e empresas como a Transmaçor, a Lotaçor e o sector bancário”, afirmou o presidente da UGT/Açores, Francisco Pimentel.

O dirigente sindical salientou, no entanto, que “estão a ser recolhidos dados”, pelo considerou ser “prematuro” avançar com percentagens de adesão.

Francisco Pimentel referiu que "existem nos Açores muitos serviços encerrados, caso do Matadouro do Faial, assim como as delegações do Faial e das Velas (S. Jorge) da Caixa Geral de Depósitos, o mesmo se passando com a Escola Secundária Antero de Quental (Ponta Delgada), que tinha ao inicio da manhã as portas encerradas".

“Para já, o balanço [da greve geral] é positivo nos Açores”, considerou Francisco Pimentel, frisando que as medidas decididas pelo Governo da República foram "anunciadas à queima-roupa, sem respeito pelos princípios da concertação social".

Por seu lado, o dirigente regional da CGTP, João Decq Mota, disse que "há um conjunto de escolas, creches e jardins-de-infância encerrados nos Açores", indicando também "uma adesão de 93 por cento nos Bombeiros Voluntários da Madalena do Pico e no Tribunal da Horta, Faial, que tem a porta fechada ao público, o mesmo acontecendo com a Segurança Social na Terceira".

“Há um conjunto de números que vão chegando no sector privado e administração pública e tudo indica que se vai registar nos Açores uma percentagem muito elevada (de adesão à greve geral)”, disse.

Francisco Branco, do Sindicato dos Enfermeiros, disse à Lusa que "no turno da noite, a percentagem de adesão à greve foi de 77 por cento nas unidades de saúde dos Açores, com expressão máxima de 100 por cento no Hospital de Ponta Delgada".

“Os serviços de consulta externa nos três hospitais dos Açores estão com funcionamento muito reduzido. Nos blocos operatórios só estão a ser asseguradas as urgências, não se realizando cirurgias programadas”, acrescentou, indicando ainda que "no turno da manhã, que termina às 16:00, há uma média geral de adesão à greve de 64 por cento".

Dados enviados pela direcção regional dos Açores do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos indicam que encerraram nove serviços e que, de um total de 211 funcionários, apenas 83 estavam ao serviço.

A Câmara da Lagoa, em S. Miguel, anunciou que os serviços municipais estão hoje encerrados devido à adesão à greve.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.