Ensino superior mais activo no desenvolvimento das regiões


 

Lusa/AOonline   Nacional   17 de Nov de 2008, 17:22

O presidente do Instituto Politécnico do Porto (IPP), Vítor Santos, defendeu em Felgueiras que os estabelecimentos de ensino superior devem desempenhar um papel mais activo no desenvolvimento das regiões.
“O Politécnico do Porto começa a criar parcerias na região Norte para fundir competências e valências, colocando-as ao serviço de todos”, afirmou o responsável.

    Vítor Santos falava na cerimónia do nono aniversário da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Felgueiras (ESTGF), uma das duas escolas deslocalizadas do IPP, criada em 1999.

    Frequentam o estabelecimento de ensino superior cerca de mil estudantes, metade dos quais da região do Tâmega e Sousa, repartidos por um mestrado, quatro licenciaturas e três cursos de especialização tecnológica.

    Para Vítor Santos, este tipo de escolas, "que carregam o potencial do Politécnico do Porto", só fazem sentido se participarem no desenvolvimento das regiões onde estão inseridas, no caso da ESTGF, o Vale do Sousa e o Baixo Tâmega.

    A ESTGF é o único estabelecimento de ensino superior público numa das regiões mais industrializadas e densamente povoadas do país, com cerca de 550 mil habitantes.

    “É fundamental que esta escola tenha uma articulação plena com o que os gestores da região vão desenhando, adequando a sua oferta formativa às necessidades da região”, frisou o responsável.

    Comentando uma intervenção anterior de Manuel Moreira, presidente da Comunidade Urbana do Tâmega (e autarca do Marco de Canaveses), o presidente do IPP elogiou a anunciada fusão do Tâmega e do Sousa numa única comunidade intermunicipal, considerando que esse processo reforçará a capacidade de intervenção de um espaço regional com crescente importância no Norte de Portugal.

    Vítor Santos anunciou que o IPP vai procurar reconhecer e acompanhar essa dinâmica, avançando com projectos que aumentem a dimensão da ESTGF, para que seja "um actor no desenvolvimento do Tâmega e Sousa".

    Na cerimónia foi apresentado um estudo que prevê a criação do Parque Politécnico em Felgueiras, em terrenos contíguos ao actual edifício da escola, na zona central da cidade, abrangendo uma área de cerca de seis hectares.

    O projecto contempla a construção faseada de vários edifícios, o principal dos quais com 5.200 metros quadrados, e a disponibilização de outras valências e zonas ajardinadas que poderão ser fruídas pela população da cidade.

    A presidente da Câmara de Felgueiras sublinhou a importância que a ESTGF tem tido na qualificação dos recursos humanos de toda a região.

    Segundo Fátima Felgueiras, a escola já é um dos mais importantes instrumentos de desenvolvimento regional do Sousa e do Tâmega.

    A autarca defendeu o crescimento da ESTGF, frisando que só assim poderá corresponder à dinâmica da região.

    Antes, o director da ESTGF, Luís Costa Lima, tinha salientado o esforço da escola no sentido de adequar a sua oferta formativa ao tecido empresarial da região.

    “Temos um compromisso com o desenvolvimento sustentado da região”, salientou.

    O responsável também tinha frisado o facto desta escola estar na região mais jovem do país e por isso ter especiais responsabilidades na formação de recursos humanos qualificados.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.