Empresas agro-alimentares querem limitar publicidade

Empresas agro-alimentares querem limitar publicidade

 

Lusa/AO Online   Economia   5 de Nov de 2009, 15:58

A industria de alimentação e bebidas quer alterar a publicidade a crianças menores de 12 anos, para promover hábitos saudáveis no público infantil.

"A adaptação das empresas a esta alteração tem de ser gradual, para que se possam ir adaptando. Mas o objectivo último é o de as empresas se absterem de publicitar generos alimentícios a menores de 12 anos", afirmou à Lusa Pedro Queiroz, director-geral da FIPA - Federação das Industrias Portuguesas Agro-alimentares.

Para concretizar este objectivo, a FIPA assina hoje um protocolo com as primeiras 26 empresas do sector que acordaram assumir um compromisso para alterar daquela publicidade.

As diretrizes para a propaganda de alimentos infantis foram definidas em 2007 quando foi assinado o acordo internacional EU-Pledge , defindindo medidas mais rígidas para a publicidade dirigida ao público infantil.

Várias multinacionais de alimentos e bebidas, entre as quais a Nestlé, a Coca-Cola e Danone, assinaram na altura o Termo de Compromisso EU-Pledge com esse objectivo.

"Não posso ainda divulgar o nome das empresas que vão assumir esse compromisso em Portugal, uma vez que o rpotocolo ainda não foi assinado", afirmou o director-geral da FIPA; adiantando que a assinatura das primeiras 26 empresas vai ser concretizada ao final do dia de hoje.

Pedro Queiroz adiantou que um dos objectivos do protocolo é o de definir com a Plataforma Contra a Obesidade, entre outros parceiros, a melhor forma de limitar os efeitos negativos ad pubnlicidade alimentar ás crianças.

"E no espaço de um ano queremos duplicar o numero de empresas signatarias deste protocolo", adiantou aquele responsável.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.