Emprego e mobilidade são as preocupações da UGT/Açores para o orçamento da região


 

Lusa/AO Online   Regional   6 de Set de 2019, 17:14

O sindicato UGT/Açores pediu esta sexta-feira mais emprego na região, alertando para os limites dos programas ocupacionais, e alertou para os problemas de mobilidade na região, numa audição com o Governo Regional acerca do orçamento para 2020.

Em declarações aos jornalistas após o encontro com o líder do executivo açoriano, Vasco Cordeiro (PS), em que apresentou propostas para o Plano e Orçamento da região para 2020, Afonso Quental, dirigente da UGT/Açores, afirmou que a preocupação que levou à audição foi, “em primeiro lugar, criação de emprego, porque os programas ocupacionais não são emprego”.

“É preciso criar emprego, com a devida remuneração”, alertou o sindicalista, apontando também a necessidade da existência de “mais e melhores empresas, que criam riqueza”.

Afonso Quental referiu que o “turismo veio preencher uma lacuna existente, mas é preciso, cada vez mais, apostar nas acessibilidades”.

O representante mostrou-se preocupado em relação à situação da transportadora aérea pública SATA – que fechou 2018 com um prejuízo de 53,3 milhões de euros, um agravamento de 12,3 milhões face ao ano de 2017 - e à proposta de transferência dos custos do subsídio social de mobilidade para a região.

Em causa está uma entrevista dada pelo primeiro-ministro ao Diário de Notícias da Madeira, em que António Costa define o subsídio social de mobilidade como "absurdo e ruinoso" e defende a transferência da sua gestão do Estado central para as regiões da Madeira e Açores.

Nos Açores, o modelo de subsídio de mobilidade, proposto em 2011, define que, nas viagens entre a região e o continente, haja reembolso para os residentes no arquipélago no montante entre a diferença do bilhete comprado e valor máximo de 134 euros por viagem de ida e volta.

Para viagens entre os Açores e a Madeira, o montante em causa é de 119 euros.

Em 2015, os gastos foram de 17 milhões, contra 75 milhões em 2018.

O presidente do Governo dos Açores está hoje a receber em Ponta Delgada os parceiros sociais e os partidos políticos sobre a preparação das propostas do Plano e Orçamento para 2020, que serão apresentadas à Assembleia Legislativa Regional em outubro.

Vasco Cordeiro está acompanhado nos encontros pelo vice-presidente do Governo dos Açores, Sérgio Ávila, que tutela a área orçamental.

Após esta ronda de audições, a anteproposta de Plano e Orçamento para 2020 será aprovada em Conselho de Governo, a que se seguirá, no final deste mês, a reunião do Conselho Económico e Social da Região Autónoma dos Açores.

Depois de recolhidos os diversos pareceres do Conselho Económico e Social e dos Conselhos de Ilha, o Governo dos Açores reunir-se-á em Conselho para aprovar as propostas de Plano e Orçamento, que serão entregues, no final do mês de outubro, na Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.