Taça da Liga

Eficácia e felicidade leirienses ditam derrota dos encarnados

Eficácia e felicidade leirienses ditam derrota dos encarnados

 

Arthur Melo   Futebol   28 de Out de 2009, 21:41

O sentido de oportunidade e eficácia de Carlão e a felicidade que protegeu a União de Leiria foram os argumentos que estiveram na base da vitória alcançada em Ponta Delgada perante o Santa Clara e que ditou o afastamento dos encarnados de Ponta Delgada da Taça da Liga
Um bis do avançado brasileiro Carlão castigou a ineficácia ofensiva do Santa Clara que construiu oportunidades mais do que suficientes para conseguir um resultado que deixasse a equipa perto da qualificação para a terceira fase da prova.
A diferença de escalões voltou a não ser evidente a quem assistiu à partida, uma vez que o Santa Clara assumiu o risco e jogou de igual para igual frente a um Leiria que se apresentou matreiro, astuto... mas com muita felicidade à mistura.
Carlão inaugurou o marcador logo aos seis minutos, na transformação de uma grande penalidade cometida sobre o próprio. Inteligência do avançado da equipa da cidade do Lis que ao procurar recepcionar o esférico na área encarnada e sentindo nas costas a presença de Hernâni, conseguiu ganhar a oportunidade de desfeitear Matt Jones pela primeira vez na partida.
O Santa Clara acusou o golo madrugador que sofreu e o encontro passou por um período de mau futebol em que a bola raramente foi jogada para além do miolo do terreno.
Os jogadores encarnados faziam cerimónia na hora de rematar mas a partir do momento em que conseguiram acertar nos passes também lograram chegar à igualdade, ainda antes do intervalo, por intermédio de Nuno Santos, após um livre ensaiado descaído pela direita.
O empate, ao intervalo, já era lisonjeiro para os leirienses mas a ineficácia encarnada ficou ainda mais patente no segundo tempo.
Aos 52 minutos Feliciano, já na pequena área, correspondeu da melhor forma ao cruzamento da esquerda de Nuno Santos mas viu o esférico beijar a trave da baliza de Djuricic.
Vítor Pereira, na tentativa de refrescar a equipa e levar um novo alento para o campo, procedeu a alterações na equipa mas a União de Leiria chega à vantagem, novamente por intermédio de Carlão, com um remate colocado e sem hipótese para Matt Jones, após jogada de insistência de André Santos na esquerda.
Se os de Leiria marcavam, os de Ponta Delgada viam na trave o segundo guarda-redes dos forasteiros. Assim voltou a acontecer aos 81 minutos quando o cabeceamento de Rincon, servido por João Dias na direita, voltou a esbarrar no ferro da baliza.
Com uma tremenda eficácia, o Leiria vencia uma partida em que a felicidade também acompanhou a formação do Lis.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.