Edição portuguesa do último Harry Potter à venda esta noite


 

Lusa/AO   Nacional   15 de Nov de 2007, 07:08

Com 608 páginas, ao preço de 22 euros, o livro "Harry Potter e os talismãs da morte", de JK Rowling, que encerra uma história que começou há dez anos, é lançado em Portugal às 00:00 de sexta-feira.
Com a chancela da Presença, o sétimo e último volume da série juvenil será lançado oficialmente na Estufa Fria, em Lisboa, onde se recriará, para 500 convidados, o ambiente da escola de magia Hogwarts, o cenário principal das aventuras do jovem feiticeiro.

    O livro terá uma primeira edição de cem mil exemplares, "uma tiragem calculada de acordo com uma prospecção de mercado, tendo em conta os pedidos das livrarias, para evitar rupturas de stock", afirmou à agência Lusa Inês Mourão, da Presença.

    A tradução, feita em quatro meses, desde o lançamento da edição em inglês, ficou por conta de Manuela Madureira, Alice Rocha, Maria Georgina Segurado e Maria do Carmo Figueira.

    Além do lançamento na Estufa Fria, várias livrarias vão estar abertas às 00:00 para acolher os mais fervorosos fãs desta série.

    A FNAC terá as suas 12 lojas abertas a partir das 23:00 com uma série de actividades associadas ao universo de Harry Potter, como um concurso de caracterização e a exibição de filmes.

    A cadeia francesa encomendou 30 mil exemplares à Presença e irá colocá-los à venda a 19,80 euros.

    Já a Bertrand Livreiros, dos 25 mil exemplares encomendados à Presença, terá 14 mil livros para repartir pelas suas 52 livrarias.

    A Bertrand Livreiros irá ter dez livrarias em todo o país abertas entre as 00:00 e as 02:00, o mesmo acontecendo nas oito lojas da Bulhosa Livreiros, todas elas no distrito de Lisboa.

    Na loja virtual Webboom, da Porto Editora, foram feitas cerca de quatro mil pré-encomendas do livro.

    "Harry Potter e os talismãs da morte" encerra uma série de sete volumes iniciada por Johanne Kathleen Rowling em 1997, quando saiu "Harry Potter e a Pedra Filosofial".

    Obra da literatura fantástica, a série tem como tema de fundo a luta entre o Bem e o Mal, entre o herói e o vilão, aqui personificados por Harry Potter e o maléfico Lord Voldemort, "aquele cujo nome não deve ser pronunciado".

    A série acompanha a adolescência de um rapaz que, a partir de uma cicatriz em forma de raio na testa, descobre o seu passado e o talento como aprendiz de feiticeiro num mundo paralelo de magia.

    É na selecta escola de Hogwarts que Harry Potter cresce, faz amigos, descobre o Quidditch e enfrenta Voldemort.

    Neste derradeiro volume, que JK Rowling terminou de escrever em Janeiro deste ano num hotel na Escócia, Harry Potter tem um confronto final com Lord Voldemort e no qual três objectos - os talismãs da morte - terão um papel importante.

    Com "Harry Potter e os talismãs da morte", sendo um dos talismãs o famoso manto de invisibilidade, fecha-se assim uma das mais bem sucedidas séries juvenis da literatura mundial recente.

    Quando terminou de escrever este sétimo livro, que esteve para se chamar "Harry Potter and the Elder Wand" ou "Harry Potter and the Peverell Quest", JK Rowling admitiu que ficou simultaneamente eufórica e destroçada.

    Afinal, a série rendeu mais de 300 milhões de exemplares em todo o mundo, foi adaptada ao cinema, originou jogos de computador e colocou a autora britânica na restrita galeria dos multimilionários.

    Em Portugal, os seis volumes já editados renderam 1,3 milhões de exemplares vendidos, com o primeiro volume a liderar as vendas, com 325 mil exemplares.

    Além de "Harry Potter e os talismãs da morte", a série é composta pelos livros "Harry Potter e a Pedra Filosofal", "Harry Potter e a Câmara dos Segredos", "Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban", "Harry Potter e o Cálice de Fogo", "Harry Potter e a Ordem de Fénix" e "Harry Potter e o Príncipe Misterioso".
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.