Banco de Portugal

Economia de um país interessa a todos porque afecta o grupo

Economia de um país interessa a todos porque afecta o grupo

 

Lusa/AO online   Economia   19 de Set de 2011, 12:37

O governador do Banco de Portugal (BdP), Carlos Costa, defendeu maior governo económico e disciplina financeira na União Económica e Monetária e afirmou que o desenvolvimento de um país interessa a todos porque afecta o grupo.
O responsável pelo supervisor bancário falava num encontro entre Bancos centrais dos Países de Língua Portuguesa, no CCB, em Lisboa.

“Para menos federalismo é preciso maior convergência, maior governo económico, maior disciplina financeira”, afirmou o governador do BdP, considerando que os “mecanismos de coesão interna compensam as assimetrias que resultam factores estruturais da economia”.

Carlos Costa disse ainda que, num grupo como a UEM, o desenvolvimento económico de um país interessa a todos porque afecta o grupo.

“Temos de confrontar a questão da competitividade da economia como sendo do interesse do grupo e não só do interesse dessa economia", considerou.

Referindo-se ao programa de assistência financeira e ajustamento económico que Portugal acordou com a ‘troika’, Carlos Costa considerou que o “capítulo estrutural’ deste “não é extravagante”, tendo como “objectivo assegurar que economia portuguesa tem todas condições para tirar benefício de uma importante área monetária e de crescimento”, acrescentou.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.