Segurança rodoviária

Diversificar formação rodoviária

Diversificar formação rodoviária

 

João Cordeiro   Regional   4 de Dez de 2008, 10:19

A recém-eleita direcção da Prevenção Rodoviária dos Açores (PRA) quer alargar a sua área de actuação, mantendo como base de trabalho a formação em todas as ilhas.
Para divulgar as acções da associação junto dos cidadãos, está a ser ponderada a criação de um site na internet, em substituição da revista, que deixou de existir.
Reeleito para um novo mandato como presidente da PRA, Walter Adrahi adianta que, para além de continuar a apostar na formação de ciclomotoristas com idades entre os 14 e os 16 anos, assim como na formação de motoristas para o transporte de crianças - área regulamentada recentemente - a associação pretende “entrar em áreas de formação mais diversificadas”.
O objectivo é realizar mais acções de formação junto das próprias escolas de condução, “a custos muito baixos, para que a adesão seja bastante significativa”, incidindo sobre as mais recentes alterações à legislação, divulgando boas práticas em termos de comportamento dos condutores, e procurando que este bom comportamento se mantenha por mais tempo, em vez de desaparecer de uma forma rápida após a obtenção da licença de condução.
O presidente da PRA demonstrou também a intenção de voltar a realizar um contacto próximo com professores, crianças e jovens das escolas da Região.
Sinistralidade
Walter Adrahi refere que os números relativos à sinistralidade nos Açores são melhores do que a média nacional, mas salienta que “se os comportamentos dos condutores não mudarem, as alterações nas estatísticas vão ser muito lentas e vai mesmo chegar a um ponto em que não vão baixar, porque os restantes factores têm cada vez menos influência nos acidentes: as viaturas estão cada vez mais seguras e as estradas estão nitidamente a melhorar”.
Tendo isso em conta, Walter Adrahi prevê que, nos próximos tempos, o número de mortes baixe e que o número de feridos graves aumente. A quantidade de acidentes, por sua vez, “é muito relativa: pode até aumentar, mas serão principalmente acidentes de “chapa”, até porque “o parque automóvel está em constante crescimento, ao contrário da área de estradas, que não tem aumentado significativamente”.
O líder da PRA revela ainda que “os acidentes com motos de alta cilindrada estão a emergir”, uma vez que “a segurança do veículo já atingiu o seu limite, e tudo depende agora do comportamento dos condutores”.
Para mudar os comportamentos dos condutores, Walter Adrahi sugere mais trabalho junto das escolas, mais polícias na estrada, e a aplicação de sanções mais pesadas e diferentes: “obrigar condutores que reincidam em determinado tipo de acidentes a fazer exames de reciclagem e formações específicas”, conclui.


“Formar e sensibilizar os condutores”

A Prevenção Rodoviária dos Açores tem por objectivo a prevenção dos acidentes rodoviários e a redução das suas consequências. Para tal, a PRA promove acções de desenvolvimento de educação rodoviária, e procura sistematizar e analisar os dados disponíveis referentes ao trânsito rodoviário, não só no que se refere ao fenómeno em si, mas também aos múltiplos aspectos sociais que o determinam e condicionam. No próximo ano, vão ser divulgados os resultados de um inquérito que a PRA vai realizar junto jovens que receberam formação deste organismo, ao longo dos últimos cinco anos, com o objectivo de tentar perceber se esta formação precoce, junto dos condutores, tem um impacto positivo no seu comportamento ao volante.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.