Açoriano Oriental
Covid-19: Envelhecimento dos emigrantes portugueses no Canadá é motivo de preocupação

O envelhecimento de parte dos emigrantes portugueses é motivo de preocupação de alguns líderes da comunidade no Canadá, visto que os idosos com mais de 70 anos são mais vulneráveis ao novo coronavírus.

article.title

Foto: SXC
Autor: AO Online/ Lusa

O conselheiro das comunidades portuguesas no Canadá, em Montreal, Daniel Loureiro, disse à agência Lusa, que até agora a informação que lhe tem chegado é que a comunidade "tem sido unida, a respeitar as medidas implementadas pelos diversos governos, federal e provincial, com competências diferentes".

O conselheiro espera que a comunidade "continue a agir nesse sentido", reconhecendo que a covid-19 "não faz distinções de comunidades, nem de classes sociais, afeta a todos da mesma forma".

"Por isso a nossa comunidade será afetada como as outras todas. Temos uma situação que nos preocupa a todos, que é o envelhecimento da população e da nossa comunidade também. Há uma grande percentagem de mortos de uma faixa etária mais avançada", advertiu.

Nesse sentido Daniel Loureiro apelou a todos que tenham cuidado "com os nossos idosos", que "continuem unidos", ajudando no que for possível "todos aqueles que mais necessitem".

Também Tony de Sousa, o presidente do Centro Cultural Português de Mississauga (PCCM, sigla em inglês), sublinhou a necessidade de um "trabalho em conjunto" para "ultrapassar esta fase menos positiva o mais rápido possível".

"Sabemos que muitas clubes e organizações vivem de abrir aos sábados, todos os fins de semana, vai-nos magoar um pouco, mas não é nada que podemos aguentar. Depois quando passar, temos de trabalhar e recuperar", salientou o dirigente do PCCM.

Muitas das associações portuguesas no Canadá organizam eventos ao fim de semana com o objetivo de angariar verbas para financiar as suas atividades culturais e a própria hipoteca das suas instalações.

Por decisão do governo do Ontário, que declarou Estado de Emergência no dia 17 de março, os restaurantes e a maioria dos estabelecimentos comerciais foram obrigados a fechar as portas, incluindo associações culturais e recreativas.

No entanto alguns pequenos negócios, como as pastelarias e padarias podem abrir, mas apenas com serviço de ?take out', para que seja cumprida a distância social de dois metros.

Uma medida necessária que está a afetar negativamente o pequeno comércio no Little Portugal de Toronto.

Nesse sentido, a Associação de Comércio e Serviços local, está a apelar à comunidade que "ajude o comércio tradicional".

"Queria pedir a todos, sempre que possível, utilizem o pequeno comércio, comprem o seu pão na padaria, adquiram os seus produtos no talho, ou na mercearia. Ajudem o pequeno comércio, porque um dia vai desaparecer e ficamos todos muito pobres coletivamente", afirmou Anabela Taborda, presidente da Little Portugal on Dundas BIA.

A associação de comércio representa cerca de 300 estabelecimentos, 30 por cento dos quais são propriedade de portugueses e de lusodescendentes.

Dados do Governo do Canadá divulgados esta sexta-feira à noite revelaram que já foram infetadas no país 1.044 pessoas, incluindo 12 mortes e 11 recuperações.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, infetou mais de 265 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 11.100 morreram.

Das pessoas infetadas, mais de 90.500 recuperaram da doença.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se já por 182 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.