‘Clube do Pequeno-Almoço’ chega a 66 escolas de São Miguel e deverá ser alargado a todas as ilhas

‘Clube do Pequeno-Almoço’ chega a 66 escolas de São Miguel e deverá ser alargado a todas as ilhas

 

Susete Rodrigues/AO Online   Regional   6 de Fev de 2019, 19:00

A diretora regional de Prevenção e Combate às Dependências afirmou, nos Fenais da Ajuda, que a adesão registada na implementação do projeto ‘Clube do Pequeno-Almoço’, na ilha de São Miguel, reforça o objetivo de alargar esta iniciativa a todas as escolas do ensino pré-escolar nos Açores.

“O empenho e dedicação manifestados pela Equipa de Saúde Escolar da Unidade de Saúde de Ilha de São Miguel (USISM) e pelas seis autarquias, desde a primeira hora, revelam a pertinência da ação, que deverá chegar ao maior número de alunos possível”, salientou Suzete Frias, citada em nota do executivo.


A diretora regional, que falava na Escola Básica dos Fenais da Ajuda, concelho da Ribeira Grande, onde foi, esta quarta-feira, oferecido às crianças um 'pequeno-almoço saudável', sublinhou que esta iniciativa é um bom exemplo da cooperação entre instituições na implementação de políticas públicas em prol do cidadão.


Refira-se que o ‘Clube do Pequeno-Almoço’ é uma iniciativa da Equipa de Saúde Escolar da USISM, enquadrada nos objetivos da Saúde Escolar, da Direção Regional de Prevenção e Combate às Dependências, que teve início em dezembro.


O projeto, que abrange 66 escolas do pré-escolar da ilha de São Miguel, num total de cerca de 2.500 alunos e 1.400 pais, teve em consideração os resultados do Sistema de Vigilância de Comportamentos de Risco 2016-2017, que elegeu a alimentação saudável como tema obrigatório a ser desenvolvido pela Saúde Escolar.


A ação, que conta com o apoio das autarquias, propõe a realização de dois pequenos-almoços exemplificativos por trimestre, envolvendo, além das crianças, a comunidade docente e não docente, e os pais dos alunos do pré-escolar.


Na ocasião, a diretora regional lembrou que a opção por um pequeno-almoço rico em fibras e proteínas, aumenta a concentração e a memória das crianças, funções necessárias a um bom rendimento escolar.


“Há estudos que revelam que a prática diária de um pequeno-almoço equilibrado, para além de ser uma medida importante de combate à obesidade, tem outros benefícios em saúde a longo prazo, como a redução da hipertensão, doenças cardíacas e diabetes”, sustentou.


O excesso de peso infantil atinge 32,5% das crianças e adolescentes açorianas, sendo o aumento do consumo de alimentos de elevada densidade energética, como as bebidas açucaradas, apontado como uma das principais causas desta problemática, diz a nota do executivo.


O Programa Regional para a Alimentação Saudável tem como uma das suas estratégias, no que diz respeito à alimentação, atividade física e saúde, recomendar o aumento do consumo de fruta e produtos hortícolas e reforçar a importância do pequeno-almoço.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.