CGTP quer reunir com comissões parlamentares

CGTP quer reunir com comissões parlamentares

 

Lusa/Aonline   Nacional   2 de Dez de 2011, 12:10

A CGTP anunciou hoje que vai solicitar reuniões com as respetivas comissões parlamentares para discutir a questão das privatizações, para evitar que o Estado não perca "alavancas estratégicas" para o seu próprio desenvolvimento.

No final de uma audiência com a presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, o membro da comissão executiva da Intersindical, Arménio Carlos, considerou que "privatizar empresas neste momento é um mau negócio".

Arménio Carlos lembrou que "a economia está em baixo e qualquer investimento que seja feito é para comprar barato para depois ganhar muito dinheiro com isso, porque o capital não presta serviço social".

No sentido de denunciar uma medida que contestam, a CGTP entregou hoje à presidente da Assembleia da República uma petição contra as privatizações no Setor Empresarial do Estado que foi subscrita por cerca de 12.400 pessoas

"Consideramos que aquilo que se está a passar neste momento no país é grave, o Governo está a vender empresas que são estratégicas para o desenvolvimento do país (...) e não nos parece que estas sejam as soluções adequadas", afirmou.

A CGTP propõe assim alternativas, nomeadamente, o combate à fraude e à evasão fiscal.

"Há outras formas de encontrar receita que evite as privatizações como o combate à fraude e à evasão fiscal que atinge cerca de 30 mil milhões de euros e que não são cobrados", referiu o sindicalista.

No seu entender, "bastava haver, da parte do Governo, um objetivo que apontasse para 2012 ou 2013 a cobrança de 50 por cento desta verba para arranjar 15 mil milhões de euros".

Se o Executivo acatasse esta proposta da Intersindical, "dava para resolver os problemas do défice, para evitar que não retirassem o pagamento dos subsídio de férias e de Natal bem como o aumento do horário de trabalho e ainda sobrava dinheiro para fazer algum investimento público", defendeu Arménio Carlos.

A central sindical pediu a audiência a Assunção Esteves com o objetivo de entregar a "Petição Sobre as Privatizações no Setor Empresarial do Estado e o Ataque à Administração Pública".

A Intersindical promoveu a petição porque considera que as privatizações "são nocivas aos trabalhadores, às famílias e aos interesses coletivos do país, sobretudo num quadro de recessão económica e empobrecimento generalizado da população".

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.