Cerca de 130 pessoas estão desaparecidas depois de um naufrágio no golfo de Bengala


 

Lusa/AO online   Internacional   31 de Out de 2012, 15:00

Cerca de 130 pessoas desapareceram no golfo de Bengala depois do naufrágio de uma embarcação que transportava refugiados rohingyas, informou hoje a polícia do Bangladesh e uma organização pela defesa desta minoria muçulmana.

Segundo Mohammad Farhad, inspetor de polícia de Teknaf, cidade localizada no sudeste do Bangladesh, um dos seis sobreviventes que foram resgatados disse às autoridades que o barco transportava cerca de 130 passageiros quando afundou entre a Birmânia e o Bangladesh, durante o seu trajeto para a Malásia.

O barco deixou a vila de Sabrang, no Bangladesh, no sábado, e, segundo a polícia, o naufrágio aconteceu no domingo de manhã.

Os 800 mil rohingyas apátridas confinados no estado birmanês de Rakhine são considerados pela ONU como uma das minorias mais perseguidas do planeta, sendo vítimas há décadas de restrições de deslocações, acesso limitado à saúde e educação, confiscação de terras e de força de trabalho.

Esta situação levou muitas pessoas desta minoria a deixarem a Birmânia, sobretudo para o vizinho Bangladesh. Os recentes episódios de mortes violentas provocaram uma nova vaga de êxodo, sobretudo para a Malásia.

“O navio viajava ilegalmente para a Malásia”, afirmou Farhad.

Os seis sobreviventes foram recolhidos por um barco de pesca.

Uma associação baseada em Banguecoque, Arakan Project, confirmou o acidente.

“Nós soubemos que um barco sobrecarregado com 133 passageiros a bordo viajava para a Malásia”, declarou Chris Lewa, o diretor da organização. Segundo o responsável, o acidente aconteceu na noite de segunda para terça-feira.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.