CDS/PP solicita nos Açores audiências com PR e Primeiro-Ministro para falar sobre situação económica do país


 

Lusa / AO online   Regional   28 de Set de 2008, 22:09

O CDS/PP vai solicitar audiências ao Presidente da República e ao primeiro-ministro para expor a sua preocupação com a situação económica do país e apresentar um "contributo positivo" para resolver o problema.
    "Eu entendo que quando uma situação económica é tão difícil como aquela que estamos a viver, o que se pede aos políticos, mais do que querelas entre partidos, é que cada um diga o que pode fazer e que ideia é que tem para que a situação económica da classe média e dos mais desfavorecidos melhore", afirmou aos jornalistas Paulo Portas.

    No final de dois dias de visita aos Açores, no âmbito da pré-campanha para as regionais de 19 de Outubro, Portas disse, ainda, que as audiências com Cavaco Silva e José Sócrates vão servir para "apresentar soluções" para a economia portuguesa deixar de "estar estagnada" e como apoiar as pequenas e médias empresas, que são "responsáveis por grande parte do emprego e volume de negócios" no país.

    "Lembram-se que o Presidente da República disse a semana passada, e a meu ver bem, que o próximo Orçamento de Estado devia dar sinais para que os que são mais afectados pela situação económica difícil da nossa economia", recordou Paulo Portas, para justificar a iniciativa do CDS/PP.

    Segundo o dirigente, "muita gente reconhece" o esforço do partido no sentido de criticar o que está errado, mas dizer o que faria melhor se tivesse a responsabilidade de decidir.

    Para Paulo Portas é "prioritário" devolver poder de compra às famílias que estão a passar dificuldades e isso "só se pode fazer através do IRS", premiar as empresas que conseguem ganhar produtividade e ajudá-las no IVA, "quer no momento em que fazem o pagamento, quer ao nível da rapidez das devoluções".

    O líder dos democratas cristãos identificou, ainda, um terceiro "sinal prioritário" que urge dar aos portugueses dedicado aos "mais pobres dos mais pobres", ou seja os idosos.

    "Entendo que o Estado gasta de mais no rendimento mínimo e gasta de menos ao nível das pensões mais baixas", frisou Paulo Portas, que participou sábado em acções de campanha na ilha de São Jorge.

    Hoje, na ilha de São Miguel, Portas efectuou contactos de rua na Fajã de Baixo, freguesia onde mora o líder do PS/Açores, Carlos César, dirigindo-se depois para a freguesia da Atalhada, com a respectiva comitiva, por não ter encontrado muitas pessoas.

    Depois de já ter percorrido várias ilhas, em período de pré-campanha eleitoral, Paulo Portas regressa ao arquipélago a 04 de Outubro para participar no comício do CDS/PP dos Açores, a decorrer na cidade de Ponta Delgada, com os candidatos do partido pela ilha de São Miguel ao parlamento açoriano.

    As eleições regionais, que vão eleger 57 deputados para a Assembleia Legislativa dos Açores, estão agendadas para 19 de Outubro.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.