Açoriano Oriental
CCIA preocupada com falência de empresas e desemprego em 2021

Câmara de Comércio e Indústria dos Açores prevê que 2021 seja um ano “mau” para as empresas e reclama mais medidas. CCIA ressalva que a “incerteza” é o maior inimigo da economia açoriana

CCIA preocupada com falência de empresas e desemprego em 2021

Autor: Carolina Moreira

O presidente da Câmara do Comércio e Indústria dos Açores (CCIA), Davide Marcos, prevê que o ano 2021 seja “mau”, com uma recuperação “lenta” da economia, mostrando-se por isso “preocupado” com o possível aumento do desemprego e falência das empresas açorianas.

“Neste momento em que já falamos todos em vacinas, a verdade é que as empresas caíram muito e temos relatos de muitos empresários que esperam que os meses de janeiro e fevereiro sejam muito maus em termos de faturação em vários setores de atividade, para não falar do turismo que tem estado praticamente paralisado”, conta Davide Marcos à Rádio Açores TSF.

Nesse sentido, o representante dos empresários dos Açores afirma que se prevê “um ano mau, em que não se consegue perspetivar o verão no caso do turismo e, por isso, têm que ser avançadas novas medidas na economia açoriana”, defende.

Davide Marcos realça que os apoios previstos pelo Governo Regional até junho de 2021 - como a manutenção do emprego, os apoios às empresas e a medida nacional Apoiar.pt que será aplicada na Região - são “medidas positivas, mas não são suficientes”.

“Não podemos estar à espera de junho para lançar novas medidas na economia. Vejo muitas empresas em dificuldades para se aguentarem, portanto seria prudente que o Governo Regional começasse a pensar nisso já no início do ano e que incluísse no Plano e Orçamento da Região mais incentivos às empresas”, defende.

Outro motivo de preocupação para o representante dos empresários nos Açores é a “incerteza” vivida na economia e na política açoriana, algo que identifica como “o maior inimigo” neste momento.

“O atual governo tem que se tornar um agente de confiança para a economia, porque não se trata de um único partido a governar os Açores e ainda não sabemos se isso é um fator positivo ou negativo. Contudo, a mensagem que deixo é de confiança e que, apesar dos desafios, este governo vai dar estabilidade e aprovar as medidas necessárias às empresas”, afirma Davide Marcos.

PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.