Política

Cavaco sublinha importância coesão nacional

Cavaco sublinha importância coesão nacional

 

Lusa/AO online   Nacional   20 de Set de 2011, 15:06

O Presidente da República sublinhou a importância da coesão nacional e da união em “tempos difíceis”, apontando os açorianos como exemplo pela forma como enfrentam as dificuldades.
“A coesão nacional é um bem precioso de Portugal em particular nestes tempos difíceis que nós atravessamos. Estes tempos são de dificuldades e devem ser tempos de coesão, não tempos de divisão ou de querelas estéreis”, afirmou hoje o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, numa declaração de “saudação” aos açorianos à chegada à ilha de Santa Maria, uma das chamadas “ilhas da coesão”.

Sublinhando que nunca “Portugal precisou tanto de afirmar o espírito de união dos portugueses de forma a enfrentar os desafios bem complexos que tem à sua frente”, Cavaco Silva recordou que os açorianos conhecem bem o valor estratégico e a importância da coesão, “de trabalhar em conjunto para realizarem objectivos que são comuns”.

No arranque de uma deslocação de cinco dias ao arquipélago dos Açores, Cavaco Silva não deixou de sublinhar as “belezas naturais” das nove ilhas da região autónoma, mas destacou igualmente a beleza que está também na “alma” dos açorianos.

“A beleza está também nos espírito com que os açorianos enfrentam as adversidades, as adversidades da terra, as adversidades da vida e, dessa forma, os açorianos são um exemplo por esse seu espírito de enfrentar adversidades que devemos apresentar ao país nestes tempos difíceis que nós vivemos”, sustentou.

Na “saudação muito calorosa” que fez “a todos os açorianos”, não só os que vivem na região autónoma, como os que estão espalhados pela diáspora “a projectar e prestigiar o nome de Portugal nas cinco partes do mundo”, Cavaco Silva explicou que a visita que vai fazer até sábado aos Açores representa o cumprimento de uma promessa.

“Em Outubro de 2007 visitei pela primeira vez como Presidente da República os Açores e então assumi o compromisso público de voltar para visitar as ilhas de Santa Maria, da Graciosa, de São Jorge, das Flores e do Corvo”, lembrou.

Por isso, acrescentou, a visita que realiza agora é a concretização do compromisso que então assumiu.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.