Legislativas regionais

Carlos César destaca vitória nas nove ilhas

Carregando o video...

 

Lusa/AOonline   Regional   19 de Out de 2008, 22:27

O líder do PS/Açores destacou a “grande vitória” obtida este domingo nas eleições regionais, com uma maioria absoluta de 20 pontos de vantagem para os sociais-democratas e com o "pleno" nas nove ilhas.
“Vencer com maioria absoluta, vencer com cerca de 20 pontos de vantagem para o segundo partido mais votado é, em qualquer região e em qualquer país, uma grande vitória”, salientou Carlos César, no discurso da vitória do PS/Açores nas legislativas regionais.

    No Teatro Micaelense, onde acompanhou a noite eleitoral, o dirigente socialista realçou que a votação de cerca de 50 por cento obtida pelo PS é superior à registada em 1996 e 2000, mas inferior à de 2004.

    “É uma votação média” desde que os socialistas açorianos assumiram responsabilidades governativas nas ilhas, disse Carlos César, ao destacar, porém, a vitória que obteve nas nove ilhas açorianas.

    Destacou o caso da ilha de São Jorge, tradicionalmente social-democrata, e que o PS venceu hoje pela primeira vez.

    No discurso da vitória e com uma entrada ao som de Vangelis, na noite em que o líder do PSD/Açores anunciou a sua demissão, Carlos César referiu, ainda, que “parte da vitória” socialista se deve ao secretário-geral José Sócrates, que participou na campanha por duas vezes.

    Carlos César referiu-se, também, à abstenção - que atingiu o recorde de 53,2 por cento - para dizer que estes valores não se justificam apenas pela desactualização dos cadernos eleitorais.

    “A abstenção foi elevada e houve uma quebra significativa de mobilização e de motivação nestas eleições em virtude da presunção de vitória que havia à volta do PS”, afirmou.

    Os partidos com mais votos têm menos responsabilidades na abstenção, alegou Carlos César, para quem, o que conta, em democracia, “são as pessoas que votam em dia de eleições”.

    Depois de duas explosões de alegria quando saíram os resultados de São Jorge e São Miguel, César referiu que se sente “muito satisfeito”, uma vez que previa, antes das eleições, uma vantagem de 20 por cento para o PSD/Açores.

    Ainda relativamente ao PSD de Costa Neves, o líder socialista disse que as eleições não “correram muito bem para os sucessores” de Costa Neves, alegando a derrota no Pico, ilha de Duarte Freitas, e em Ponta Delgada, cuja câmara municipal é liderada por Berta Cabral, actual vice-presidente do PSD/Açores.

    “O PSD perdeu no Pico - lá se foi uma estrela - e perdeu no concelho de Ponta Delgada com o PS por mais ou menos 20 por cento”, ironizou Carlos César, ao salientar a maior representatividade que o Parlamento açoriano passa a ter a partir de hoje.

    Reafirmou, ainda, que este será o seu último mandato como presidente do Governo açoriano e que pretende o cumprir até ao fim.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.