Candidato português fora do pódio na final de concurso de comunicação FameLab


 

Lusa / AO online   Nacional   13 de Jun de 2010, 13:22

O candidato grego foi “o justo vencedor” da quinta edição do FameLab, onde o finalista português, Alexandre Aibéo, encontrou dificuldades em encontrar um tom informal no uso da língua inglesa.

“Não ganhei, portanto por esse lado não correu muito bem, mas foi muito divertido, aprendi muito com os outros colegas e o nível foi muito bom”, disse hoje Aibéo à agência Lusa.

O professor e doutorado em astronomia participou no sábado à noite na final internacional do concurso FameLab, dedicado à comunicação da ciência, em Cheltenham, em Inglaterra.

Lançada em 2005, esta edição contou com 13 concorrentes representantes do Reino Unido, Egipto, Hong Kong, Líbia, Marrocos, Áustria, Bulgária, Croácia, Grécia, Chipre, Israel, Sérvia e, pela primeira vez, Portugal.

O desafio é, em três minutos, falar de um tema científico de forma a manter o público geral interessado e divertido e ao mesmo tempo transmitir conhecimento.

A comunicação foi feita em inglês, o que Aibéo admitiu ter criado dificuldades por ter tentado usar uma linguagem familiar para falar do tema que apresentou, a formação das estrelas.

“Uma coisa é o inglês técnico, com o qual me dou francamente bem, outra coisa é tentar chegar às pessoas através da linguagem familiar, a linguagem de todos os dias, das expressões idiomáticas”, vincou.

O finalista garante ter feito o “trabalho de casa”, mas reconheceu que falar em inglês “não é a mesma coisa” que falar na língua materna.

O formato dos três minutos, constatou, não dá “grande chance de desviar por ali e dar a volta”, mas nota que estes problemas fazem parte das “regras do jogo”.

Depois do primeiro lugar grego, o segundo lugar foi atribuído ao candidato da Croácia e o terceiro ao do Egipto.

Aibéo espera que, ao ter protagonizado a primeira participação portuguesa nesta iniciativa, “as pessoas se sintam mais alertadas para a necessidade de uma cultura científica, que é o que eu procuro através da gastronomia”,

A final internacional do FameLab realizou-se no âmbito do Festival de Ciência de Cheltenham, que começou quarta feira e termina hoje.

Do programa constam dezenas de eventos e cujos bastidores interessaram a Alexandre Aibéo enquanto co-organizador de um há quatro anos de um Festival de Astronomia de Vila Nova de Paiva.

“Julgo que a realização de um evento deste tipo em Portugal é possível mas a envolvência que o público daqui tem ainda vamos demorar muitos anos a conseguir”, observou.

Mas, concluiu, “temos de começar por algum lado”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.