Açoriano Oriental
Campanha solidária abrange 400 habitações ardidas em outubro de 2017

As famílias de 400 habitações destruídas pelos incêndios de outubro de 2017 vão ser apoiados por uma campanha solidária a desenvolver pelo Movimento Lírio Azul porque “ter um lar é diferente de ter uma casa”.

article.title

Foto: MIGUEL A. LOPES/LUSA
Autor: Lusa/Ao online

Um “protocolo de cooperação solidária” para “apoiar as famílias, cujas casas arderam na totalidade nos incêndios de 15 de outubro de 2017” e que é “preciso aconchegar” com um lar, foi hoje formalizado na Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), em Coimbra, foi hoje anunciado.

O Movimento Lírio Azul (MLA), “entidade promotora e gestora desta campanha solidária” – ‘Uma casa. Um Lar’ – assume “o compromisso de angariar bens materiais novos, para as casas em processo de reconstrução e indicadas pela CCDRC”, refere o Lírio Azul, numa nota enviada hoje à agência Lusa.

A campanha, que “faz a ponte entre quem tem e quem precisa”, abrangerá “400 habitações, num total de 713 pessoas, cujas casas arderam na totalidade”, disse a presidente da CCDRC, Ana Abrunhosa, citada pelo MLA.

“Ter um lar é diferente de ter uma casa, mais do que uma casa é preciso aconchegar essas famílias com um lar”, sustentou a responsável, na sessão de assinatura do protocolo entre o movimento e a CCDRC.

“Esta parceria está assente na confiança”, defendeu, por seu lado, na mesma ocasião, a fundadora e presidente do MLA, Odete Costa.

Serão destinatárias desta campanha as famílias apoiadas no âmbito do Programa de Apoio à Reconstrução de Habitação Permanente, e cujas casas foram objeto de obras de reconstrução total, a cargo da CCDRC, adianta o Movimento.

Na campanha, “será dada preferência aos bens que contribuem para o conforto das famílias como o têxtil lar e outros que se entendam necessários para acarinhar as populações em sofrimento”, concluiu o MLA.

Movimento cívico, fundado em 2014, no concelho da Póvoa de Varzim, o MLA tem como objetivo “ajudar na construção de um mundo mais justo e inclusivo”.

As áreas de maior intervenção do Lírio Azul são os temas da igualdade de género/equidade, o empreendedorismo e a liderança, a discriminação nas mais diversas formas, e a luta contra a pobreza e a exclusão social.



Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.