Açoriano Oriental
Câmara de Ponta Delgada aprova orçamento no valor de 54,5ME

A Câmara de Ponta Delgada, a maior dos Açores, aprovou hoje o orçamento municipal para 2018, no valor de 54,5 milhões de euros, dos quais 11,4 milhões são referentes aos Serviços Municipalizados.

Câmara de Ponta Delgada aprova orçamento no valor de 54,5ME

Autor: Lusa/AO online

O orçamento da autarquia liderada pelo social-democrata José Manuel Bolieiro foi aprovado por maioria, com a abstenção do PS.

Em 2017, o orçamento municipal de Ponta Delgada foi superior a 51 milhões de euros, incluindo a verba relativa aos Serviços Municipalizados.

O PSD manteve nas eleições autárquicas de outubro deste ano a maioria na Câmara de Ponta Delgada, mas perdeu a maioria na Assembleia Municipal para o PS.

Após a reunião de câmara, o presidente da autarquia, José Manuel Bolieiro, sustentou, em declarações à agência Lusa, que "foi possível concertar um conjunto de propostas da vereação socialista, acolhendo-as com extrema lealdade e correção".

"A nossa prática é ouvir os partidos da oposição e, em concreto, ouvir o PS, que faz parte do próprio executivo e ainda na assembleia municipal, assim como o BE que, apesar de não integrar o executivo, faz parte da Assembleia Municipal", pelo que "foi possível acolher um conjunto de propostas que acrescentavam melhorias ao orçamento", sublinhou José Manuel Bolieiro.

De acordo com o autarca, "vai ser feita uma transferência do orçamento dos Serviços Municipalizados de 600 mil euros para acomodar tanto as propostas negociadas com o PS, com as do BE" e aquelas que o PSD também acrescentou.

O autarca do maior município dos Açores disse que o orçamento para o próximo ano é um documento de "continuidade nas prioridades políticas", nomeadamente ao nível socioeducativo e na reestruturação rodoviária, destacando ainda a regeneração urbana.

Assinalou ainda a coesão territorial através de um reforço de meios para as 24 freguesias e a reforma no sistema de recolha dos resíduos sólidos urbanos no concelho.

O vereador eleito pelo PS, Vítor Fraga, que disputou a liderança da autarquia com o presidente do município, realçou que os socialistas apresentaram "37 propostas e fruto do processo negocial foram acolhidas 20".

"Ponta Delgada vive hoje uma nova realidade. O PS tinha a possibilidade de chumbar o orçamento da Câmara no âmbito da Assembleia Municipal e aquilo que nós fizemos hoje foi viabilizar o orçamento da autarquia e o seu plano de investimentos plurianual através da nossa abstenção", frisou à Lusa.

Entre as propostas apresentadas, Vítor Fraga referiu "um incremento de 20%" nas transferências das verbas do município para as freguesias e o facto de passarem a fazer a cobrança do pagamento de água, evitando constrangimentos e deslocações dos munícipes.

"Há situações do ponto de vista da cidade que são ganhos para Ponta Delgada e para o concelho", sublinhou Vitor Fraga, referindo-se às propostas do PS de elaboração do plano de salvaguarda e do plano funcional para o centro histórico, assim como o plano de ordenamento da linha litoral entre Santa Clara e a Praia do Pópulo, que vai permitir "requalificar com regras" a zona, além da criação de "um verdadeiro corredor de circulação norte/sul" no concelho de Ponta Delgada.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.