Browser da Google disponível em Português

Browser da Google disponível em Português

 

Lusa/AO   Internacional   3 de Set de 2008, 06:18

A Google lançou hoje a versão beta (experimental) do seu próprio browser (navegador) de Internet, Google Chrome, em 43 idiomas, entre os quais o Português, nas grafias de Portugal e do Brasil.
O programa pode ser descarregado gratuitamente em www.google.com/chrome, onde estão disponíveis também informações sobre o projecto de código aberto (open source) do browser, Chromium.

    "Por considerarmos fundamental mudar a forma como vemos os browsers, concluímos que não poderíamos ser os únicos criadores do Google Chrome", refere Linus Upson, director da área de Engenharia da Google, em comunicado.

    Linus Upson salienta que "o Google Chrome foi construído em cima de projectos em código aberto que têm trazido importantes contributos para a tecnologia e que têm estimulado a competitividade e a inovação", pelo que a empresa decidiu disponibilizar livremente o software do novo browser.

    O lançamento do Google Chrome foi anunciado segunda-feira no blog oficial (https://googleblog.blogspot.com) da empresa do mais popular motor de busca na Internet.

    O blog disponibiliza também uma banda desenhada (https://www.google.com/googlebooks/chrome/index.html) explicativa do novo browser, em que a Google destaca as diferenças em relação aos restantes, nomeadamente a possibilidade de navegar por aplicações e não apenas páginas.

    O Google Chrome promete também ser mais rápido, mais estável e mais seguro, através de uma "interface de utilização limpa, simples e eficiente".

    Numa primeira fase, o novo browser apenas poderá ser utilizado em computadores com processadores Windows, mas a Google promete para os "próximos meses" versões para Macintosh e Linux.

    O Google Chrome surge num mercado dominado há 10 anos pela Microsoft, através do Internet Explorer (IE, actualmente na versão 8.0), browser que derrotou o anterior líder, Netscape Navigator.

    A quota de mercado do IE é superior a 70 por cento, surgindo na segunda posição o Mozilla Firefox, abaixo dos 20 por cento, seguido pelo Safari da Apple e do Opera.

    A Mozilla, fundação sem fins lucrativos que tem a Google como principal financiadora, lançou em Junho o Firefox 3, descarregado no primeiro dia por oito milhões de utilizadores.

    O director executivo da Mozilla, John Lilly, já garantiu no seu blog (https://googleblog.blogspot.com/) que as relações entre a fundação e a Google não vão ser afectadas pelo lançamento do novo browser.

    Johm Lilly recordou que as duas entidades renovaram recentemente até Novembro de 2011 o seu acordo económico, o que permitirá à fundação continuar a investir no Firefox e noutros projectos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.