Boavista pretende “disputar jogo palmo a palmo” com o FC Porto


 

AO Online/ Lusa   Futebol   9 de Nov de 2019, 18:33

O treinador do Boavista reconheceu este sábado que o FC Porto é o favorito para o embate entre as duas equipas, no domingo, na 11.ª jornada da I Liga de futebol, mas quer "disputar o jogo palmo a palmo com a intenção de vencer".

Na antevisão do dérbi, Lito Vidigal considerou que não existem momentos ideais para defrontar um adversário como o FC Porto, que vem de uma derrota na Liga Europa (2-0 diante do Glasgow Rangers) e frisou que os ‘dragões’ são "um adversário forte, candidato ao título crónico".

"É difícil somar pontos, e contra um adversário deste calibre muito mais ainda, mas temos de acreditar no que somos e disputar o jogo palmo a palmo com a intenção de vencer", acrescentou.

Lito Vidigal entende que não há razões para presumir que a equipa de Sérgio Conceição acusará, a nível físico, o peso dessa partida com o Rangers, na quinta-feira. "Quando interessa dizemos que fazer jogos de três em três dias ou de quatro em quatro que é pesado e quando não nos interessa dizemos que é irrelevante", afirmou.

O técnico regressa ao banco depois de três jogos de suspensão e considerou que "é importante" estar ali presente, porque, apesar da importância do trabalho desenvolvido nos treinos, “há pequenos ajustes e decisões que é preciso tomar no momento e por isso é importante estar no banco”. “Os treinadores não deviam sair do banco nunca”, opinou.

Questionado sobre o que espera do Boavista frente ao FC Porto, respondeu que tem de "ser uma equipa igual a ela própria, extremamente solidária, combativa e a jogar bom futebol".

"Somos das equipas que joga melhor futebol e isso foi demonstrado nos últimos jogos", reforçou, reforçando que o Boavista tem de ser combativo, "perceber que o FC Porto é um adversário que tem bons jogadores e que nesse sentido é mais forte".

Combatividade, agressividade excessiva ou até violência são algumas características por vezes associadas ao futebol praticado pelo conjunto ‘axadrezado’, mas que para Lito Vidigal são meras "calúnias".

"Temos um jogador que é extremamente leal, que é o Ackah. Fez um jogo muito interessante a primeira vez que jogou, mas depois, para se esconder algumas coisas, caluniaram-no e a verdade é que no primeiro lance que ele disputou num dos jogos seguintes levou um cartão amarelo", afirmou.

Lito Vidigal prosseguiu dizendo que o mesmo jogador "é tão leal, sério e humilde que acabou por fazer os 90 minutos desse jogo e terminar sem levar o segundo cartão amarelo".

Ackah, um médio ganês de 20 anos, "tem sido extremamente injustiçado", acrescentou treinador, considerando que tem "uma equipa de trabalho, que quer muito, profissional, leal e que às vezes, por causa dessas calúnias, é prejudicada".

Helton Leite foi o guarda-redes titular do Boavista na época passada até se lesionar e recuperou essa condição na ronda anterior, na derrota com o Setúbal (1-0), mas Lito Vidigal informou que Bracali vai ser o titular com o FC Porto.

O Boavista, sexto classificado, com 15 pontos, recebe o FC Porto, segundo, com 25, em jogo com início marcado para as 21.00 de domingo, no estádio do Bessa, no Porto.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.